Acidentes

Corpo de criança afogada no Guandu foi encontrado por sua cadela

As buscas por Guilherme Mendes de Souza, de 10 anos, que se afogou no último domingo, após mergulhar no Rio Guandu, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, contou com uma ajuda especial. A cadela Amarelinha, que pertencia ao menino, estava perto do corpo, segundo familiares.

— Os bombeiros disseram que ela estava perto do corpo dele, quando eles encontraram. Por isso, ela tinha sumido de tarde. Não ia sossegar até achar — contou Brenda Mendes Marcelino, de 21 anos, irmã de Guilherme.

O menino ganhou o animal de um vizinho há pouco mais de um mês. A irmã contou que ele tinha ciúmes da cadela e não deixava ninguém cuidar dela:

— Todos os dias era ele quem colocava comida para ela. Ele gostava muito de bichos. Já teve galinha e dizia que teria um cavalo quando crescesse.

Brenda disse que a mãe está sob efeito de remédios e que a família tinha esperanças de que ele pudesse ser encontrado vivo:

— Até o fim, a gente ficou com essa esperança. Minha mãe dizia que ele devia estar no mato procurando ajuda.

Guilherme estava desaparecido desde a manhã do último domingo, dia 6, quando mergulhou no Rio Guandu, na localidade conhecida como Prainha.

No próximo domingo, dia 13, amigos e familiares de Guilherme vão fazer uma carreata em sua homenagem, às 14h, que vai percorrer as ruas da região. Sobre a cadela do menino ter encontrado o corpo, a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros disse que não tem registro desse relato.

O que diz a prefeitura.

Moradores contam que é comum que o local fique cheio aos fins de semana e que afogamentos também são recorrentes.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo