Baixada FluminenseCasos de PolíciaComando VermelhohomicídioinvestigaçãoSão João de Merititráfico de drogas e armas

Traficantes (CV) executaram segurança em Meriti por boatos de que ele teria matado dois comparsas

Traficantes da comunidade Bacia do Éden, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, estão sendo acusados de terem matado um segurança do depósito de bebidas Luciano Nascimento da Silva. O crime ocorreu em janeiro e teria sido motivado por vingança já que acreditavam que Luciano havia matado dois integrantes do tráfico de drogas.


Dois suspeitos do assassinato (Wagner da Silva Teixeira Torres e Patrick Ferreira da Rosa) estão respondendo a processo que tramita na 1ª Vara Criminal do município. Ambos estão foragidos.

Narra a denúncia que no dia 11/01/2020, por volta de 18:00 horas, a vítima fazia segurança em um depósito de bebidas, quando se aproximou do local um veículo de cor vermelha, que parou abruptamente e dele desembarcaram homens armados fazendo disparos de arma de fogo na direção de Luciano, causando sua morte. Um dos tiros deflagrados atingiu Alexandre Alcântara, causando-lhe ferimentos.


Consta ainda o depoimento de um PM em operação na comunidade Bacia de Eden, que abordou um carro suspeito, sendo encontrado com um dos ocupantes a chave do veículo utilizado pelos assassinos de Luciano, sendo certo que este apontou o nome dos suspeitos que participaram da empreitada criminosa e que pertencem à facção criminosa Comando Vermelho.

Um irmão da vítima contou que Luciano combatia o tráfico nas cercanias (Comunidades do Buraco Quente, Bacia, Caixa D’Água e Castelinho), e que ele já sofrera uma tentativa de homicídio, de autoria de traficantes. E, em razão dessa tentativa, teria perdido a visão de um de seus olhos.

No dia dos fatos, por volta das 16H, Luciano deixou seu carro no Lava Jato do Dudu e, passado certo tempo, por perceber a movimentação de carros estranhos, voltou a seu carro e pegou suas armas de fogo. Ele foi até o depósito de bebidas do Sérgio e, em seguida, esses veículos estranhos reapareceram, sendo atingido fatalmente.

Segundo o irmão de Luciano, após executarem o crime, os bandidos teria m saído comemorando realizando disparos de armas de fogo para o alto. Ele disse acreditar que as armas de fogo de seu irmão teriam sido subtraídas por populares. Afirmou, também, que o telefone celular de seu irmão também foi subtraído.


Uma testemunha declarou que em suas declarações  afirmou que os assassinos usaram o veículo GM/Vectra para efetuar o homicídio e que as chaves encontradas em seu poder eram desse carro.


A testemunha ainda levou os policiais militares que o abordaram até a residência de um elemento identificado por  Zinho Informou, ainda, que os elementos Pitbull, Cachorrão, Mobel,  Cabelinho e Zinho participaram do homicídio.


O depoente destacou ainda que a morte de Luciano, que era conhecido como Pet ocorreu por ordem do acusado Wagner vulgo VG, e de Neguinho da Linha.


Ele contou que Cachorrão e Pitbull são os responsáveis pelo tráfico de entorpecentes na Comunidade Bacia do Éden, recebendo ordens dos traficantes ´VG e Neguinho da Linha.


Disse, também, que a morte de Luciano ocorreu porque corriam boatos que ele teria assassinado dois elementos envolvidos com o tráfico de drogas, conhecidos como 2C e Marlinho.

Processo No 0008484-98.2020.8.19.0001

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar