Casos de PolíciaDenunciainvestigaçãoOperação PolicialPrisãoTiroteio

Advogado que escapou de sequestro em São Gonçalo dá detalhes sobre como bandidos tramaram crime. Confira modus operandi da quadrilha que usa até o nome do STF

O depoimento de um advogado à Justiça revela como bandidos tramaram seu sequestro em São Gonçalo. O crime não chegou a se consumar porque os bandidos acabaram presos no mês passado.

O advogado contou que, no dia  no dia 30/06/2021, recebeu uma mensagem via aplicativo WhatsApp na qual o interlocutor, que se identificava como Sabrina manifestava interesse em contratar os serviços jurídicos do declarante após indicação da esposa de um cliente seu que era integrante de milícia que está preso no presídio Bandeira Stampa, no complexo de Gericinó, Bangu 9.

A esposa do preso, entretanto,  disse que não havia passado o contato dele para terceiros, tampouco seu marido.
Sabrina; dizia que seu marido estaria preso num presídio federal e havia interesse em contratar um advogado de extrema confiança.

Durante as conversas, Sabrina disse que teria uma abertura com a assessoria de um dos ministros do STF que supostamente iria intervir no processo do seu marido. Ela disse que havia disponível a quantia de R$ 800.000,00 disponível para resolver a situação. O dinheiro estaria em sua residência, em um cofre. 

 As tratativas não evoluíram e o advogado cessou o contato com Sabrina. No entanto, no dia 01/07, o depoente recebeu novas mensagens via WhatsApp  nas quais a irmã de Sabrina, chamada Suzane, retomou as tratativas. 


Os dois combinaram de se encontrar no dia 07/07 no bairro Nova Cidade. Ao chegar ao local, o advogado desembarcou do veículo e fez contato com Suzane, que disse que estava a caminho. 

Logo em seguida, ele percebeu a chegada de três homens. Um deles, segundo o advogado, levou uma das mãos em direção à cintura, mostrando uma arma de fogo, como se fosse sacá-la.

Neste momento, o advogado tentou seguir em direção ao seu veículo, pois percebeu que se tratava de um assalto, uma vez que ouviu ´Perdeu, tio’.

Logo depois, percebeu que policiais civis estavam no local, iniciaram o cerco. Houve tiros, um dos bandidos correu para fugir mas todos acabaram presos. 

Segundo os autos, os depoimentos colhidos no curso das investigações, os custodiados fazem parte de organização criminosa estruturada para a prática de crimes de extorsão mediante sequestro – ressaltando-se que são investigados em outros RO¿s que apuram fatos praticados nos dias anteriores no mesmo local e com mesmo modus operandi.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo