Casos de PolíciaComando VermelhoOperação Policial

Após operação sangrenta, traficantes reforçaram proteção no Jacarezinho (CV) ou até mudaram de cidade

Após a operação policial mais letal da história do Estado do Rio de Janeiro que registrou 28 mortes, os traficantes da Favela do Jacarezinho reforçaram a segurança no local, segundo informações do Disque Denúncia, que recebeu vários relatos da população depois da ação policial sangrenta.


Eles construíram casamatas de concretos em diversos pontos que estão servindo de proteção contra as ações policiais na comunidade. As fortificações tem furos para inserir o cano das armas.


Muitos criminosos, porém, optaram buscar proteção em outras áreas, inclusive fora do município, como na Baixada Fluminense e Região dos Lagos.


Segundo as denúncias, as vias mais citadas com a presença dos bandidos são  Atiba, Santo Peixeiros, da Glória, Coqueiros, Provisória, Esperança, Roberto Carnaval, José Maria Belo, do Rio, Senhor do Bonfim, Darcí Vargas, São José, Caminho Gracindo de Sá, Santa Laura, Almirante Genésio, Tamoio, Vila Jardim, Santa Luzia, João Pinto, Vieira Fazenda, Sargento Davi, do Rosário, Vila Jardim, Marquês de Herval, Espírito Santo e Joaquim Silva, Esperança, Amaro Rangel, Gracindo de Sá e Darci Vargas. Algumas delas possuem barricadas de trilhos de trem fincados no asfalto.  


O domínio não mudou. O chefe continua sendo o traficante Lambari, que foi preso na operação de maio mas atualmente quem controla as vendas de drogas na comunidade é o traficante Fred e o seu comparsa “Chico Bento”. 


Além do tráfico de drogas, os bandidos estão envolvidos em roubos, exploração de comércio ilegal e homicídios.


Os bailes funk ocorrem na Praça da Concórdia que tem acesso pela Rua Joaquim Silva, na entrada principal da Rua da Feira. É comum a presença de traficantes fortemente armados. 

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo