Assassino cruel: conheça os crimes de Bazuca, o chefe do tráfico no Morro do Juramento (CV)

Atual chefe do tráfico no Morro do Juramento, que fica entre Vicente de Carvalho e Tomás Coelho, na Zona Norte do Rio, Gilvan Leite da Silva, o Gilvanzinho ou Bazuca, é apontado como um assassino cruel.

No ano passado, teria ordenado a morte de Reílson Rodrigues de Araújo por ele morar em uma comunidade dominada pelo Terceiro Comando Puro (TCP), rival do Comando Vermelho (CV) a que pertence Bazuca.

O rapaz tinha amigos de infância no morro, inclusive envolvidos com o tráfico de drogas. Quando foi levar a filha para a casa da ex-mulher foi reconhecido pelos criminosos.

Os bandidos viram algo no celular de Reílson e decidiram o matar. Não satisfeitos ainda mandaram uma mensagem via Facebook de um perfil fake para um conhecido da vítima dizendo que atearam fogo no corpo, sem mencionar sua localização.

O traficante teria orquestrado e ordenado a invasão à comunidade ´Parque Bom Menino´, no Irajá, controlada pela organização criminosa rival ´Terceiro Comando Puro (TCP)´, bem como a execução de seus integrantes. Durante o ataque, um vapor do tráfico foi morto a mando de Gilvan.

Ainda no ano passado, Gilvan foi apontado como o mandante da morte de Marcos Vinicius Pereira de Carvalho na comunidade da Malvina, em Irajá, dominada pelo TCP, que ocorreu durante uma invasão ao CV.

Em 2015, na companhia de comparsas, Bazuca foi acusado de praticar um atentado contra um policial militar, que acabou sobrevivendo. Após atirarem no carro do agente e acreditando que ele estivesse morto, os bandidos roubaram seus pertences. Os acusados caçavam policiais e executaram vários na mesma época.

Gilvanzinho é suspeito de envolvimento em outros 14 homicídios     segundo informações do Portal de Procurados do Disque Denúncia.

Na Delegacia de Homicídios da Capital, ele é investigado por quatro assassinatos: dois PMs, o bombeiro Gílson Monção e o policial federal Leandro Carlos Dionísio.

Um dos PMs mortos pelo grupo de Gilvazinho foi o cabo da Rinaldo Figueiredo dos Santos, assassinado em novembro de 2010 em Vista Alegre. Ele jogava bola no chamado Campo do Grag quando o grupo de Mão o executou.

Gilvazinho está foragido desde 20/05/2017. Ele fugiu do Instituto Penal Penal Edgard Costa, quando recebeu o benefício do semiaberto.

Bazuca tem uma rivalidade grande com Wallace de Brito Trindade, o Lacoste, chefe do tráfico no Morro da Serrinha, em Madureira, ligado ao TCP. Em fevereiro do ano passado, Lacoste organizou uma invasão ao Juramento.