Casos de PolíciaDenunciainvestigaçãoNotícias

Bandido acusado de matar a jovem Bianca Lourenço comanda na Kelsons uma quadrilha de roubos de cargas e veículos e que extorque comerciantes do Mercado São Sebastião. Veja detalhes

 Vinte e quatro criminosos da comunidade da Kelsons, na Penha, na Zona Norte do Rio, foram denunciados pelo Ministério Público Estadual  acusados de integrarem uma organização criminosa destinada a obter vantagens financeiras em razão da reiterada prática de crimes de roubo de cargas e de veículos.

Segundo a investigação, Dalton Vieira Santana, acusado de matar a jovem Bianca Lourenço no início deste ano, é um dos cabeças da quadrilha. 

Ele e outros dois bandidos determinam os crimes de roubos de carga e veículos, bem como extorsões a comerciantes do mercado São Sebastião a serem executados pelos demais denunciados e comparsas.
Treze outros criminosos são responsáveis por atuarem e executarem os crimes de roubos de carga e de veículos nos arredores da comunidade, levando as vítimas para o interior da Kelsons com armas de grosso calibre visando o transbordo da carga, como se observa dos registros de ocorrência juntados aos autos. 

Dois suspeitos atuam na segurança do território da comunidade e ajudam no transbordo dos roubos das cargas. Outros quatro são encarregados por levar as peças dos veículos roubados e vendê-las no comércio paralelo e em ferro velhos da cidade. 

Há ainda um motorista de Uber sendo usado a serviço da organização criminosa, bem como é responsável por realizar o transbordo das cargas roubadas. 

Uma mulher atua na função de receber as mercadorias roubadas e repassá-las para terceiros de boa-fé e para o comércio paralelo. Em data não determinada, mas entre final do ano de 2020 e início de 2021, na Rua do Feijão, nº 509, Penha Circular, no interior do Mercado São Sebastião, um indivíduo ainda não identificado, em comunhão de ações e desígnios e previamente ajustados com outrs dois, os quais ordenaram a ligação telefônica, constrangeram S.J.O.S ligando- o para o telefone da empresa em que ele trabalha, com intuito de obter para si ou para outrem, mediante grave ameaça de arrombamento da empresa, obrigou a pagar indevida vantagem econômica no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais), dizendo: ´estou ligando a mando do chefe da Kelson e eles querem R$ 5.000,00 para deixarem vocês funcionando sem problema´. 

Em seguida, em novo desígnio criminoso, o mesmo indivíduo ligou novamente para a empresa e constrangeu S informando que tinham diminuído o valor para R$ 2.000,00 (dois mil reais), com intuito de obter para si ou para outrem indevida vantagem econômica, mediante grave ameaça de arrombamento da empresa, obrigando-o a pagar o valor de dois mil reais, dizendo: ´Que horas vocês fecham? A gente vai voltar aí de novo!´. 

Em data não determinada, mas em janeiro de 2021, na Rua da Batata, nº 490, Penha Circular, no interior do Mercado São Sebastião, indivíduos  constrangeram J.P, ligando-o para o telefone de sua empresa, com intuito de obter para si ou para outrem, mediante grave ameaça de arrombamento do galpão da empresa, obrigou a pagar indevida vantagem econômica no valor de R$1.000,00 (um mil reais), dizendo ser a mando do tráfico da Comunidade Kelson, o que foi feito pela vítima, que pagou o valor para a um motoqueiro que foi buscar o dinheiro em espécie no galpão da empresa. 

No dia 11 de fevereiro de 2021, na Rua do Trigo, nº 66, Penha Circular, no interior do Mercado São Sebastião, um indivíduo ainda não identificado, mas de prenome ´Sassá´, em comunhão de ações e desígnios e previamente ajustados com o 2º denunciado Anderson e 3º denunciado Geraldo, os quais ordenaram a ligação telefônica, constrangeram C.A.J ligando-o para o telefone da empresa em que trabalha, com intuito de obter para si ou para outrem, mediante grave ameaça de roubo da empresa e morte dos funcionários com tiros de fuzil, obrigou a pagar indevida vantagem econômica no valor de R$ 2.000,00 (dois mil reais), dizendo: ´que todos os roubos e invasões que ocorriam no Mercado São Sebastião passava por ele e que para isso não ocorrer seria necessário pagar o dinheiro da segurança´

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo