Casos de PolíciaComando VermelhoDenunciainvestigaçãoTerceiro Comando Puro

Bandidos do Turano (CV) são suspeitos de sequestrar chinesas e mandarem as vítimas dizerem que o crime foi praticado por rivais do São Carlos (TCP)

Traficantes do Morro do Turano, no Rio Comprido, sequestraram duas chinesas em março, no Centro do Rio, e mandaram as vítimas dizerem para a polícia de que o crime foi praticado por rivais do Complexo de São Carlos, dominado por uma facção rival.

As asiáticas foram abordadas por quatro elementos que as imobilizaram e as obrigaram a entrar num carro. Os fatos ocorreram no dia 03/03/2022, por volta das 17:30 horas e somente às 11:00 horas do dia seguinte foram libertadas. 

Duas testemunhas que presenciaram o sequestro prestaram depoimentos em sede policial. Foi constatado que na ação criminosa foi utilizado um veículo e uma motocicleta. Quatro foram os agentes que estavam no veículo, sendo que três desceram e um ficou na direção do veículo. 

As vítimas foram levadas para local que não souberam identificar, com precisão, mas parecia ser uma área de mata. Foram mantidas dentro do veículo durante a ação criminosa, informaram a presença de motos no local e puderam verificar que seis pessoas estavam atuando no crime. As chinesas foram ameaçadas e os criminosos solicitado o pagamento de resgate. 

Declaraaram as vítimas, que os agentes criminosos informaram, que já tinham realizado anteriormente o sequestro de três pessoas ligadas ao estabelecimento comercial. Os criminosos solicitaram o pagamento de valores pela dona da loja. 

Pela manhã do dia posterior ao sequestro, os criminosos utilizando os celulares das vítimas, retirarem dinheiro de suas contas bancárias. Em razão das transferências efetivadas foram alcançadas vantagens patrimoniais de forma ilícita. r
Os sequestradores mantiveram contato com a empregadora das vítimas, que lhes informou dispor de R$ 30.000,00 na loja. No dia seguinte ao sequestro, um agente criminoso compareceu no estabelecimento comercial e solicitou a entrega dos R$ 30.000,00, que a dona do estabelecimento informou dispor no local.

 O bandido não conseguiu receber os valores e deixou o estabelecimento. O agente criminoso que compareceu para solicitar os valores, foi flagrado nas imagens das câmeras de segurança do local.

As vítimas foram liberadas na manhã do dia seguinte ao sequestro. Os criminosos mandaram as chinesas informarem que seriam da comunidade de São Carlos. 

Prosseguiram as investigações, buscando a identificação dos criminosos. Foi cumprido mandado de prisão de suposto traficante do Turano, que exerceria função de liderança. O mandado de prisão não possui nenhuma relação com o crime investigado. O preso em depoimento prestado em sede policial declarou, não ter nenhum envolvimento com o crime, mas que tem conhecimento de agentes do Turano que praticam crimes de extorsão mediante sequestros. 

Indicou quatro pessoas como sendo envolvidas com extorsões mediante sequestros e as identificou por fotografia em sede policial. Uma das vítimas reconheceu três deles e a outra, dois, Posteriormente, com as investigações, foi identificada a motocicleta utilizada no momento do sequestro das vítimas. O veículo era da falecida genitora de um dos suspeitos. 

A pessoa detida por policiais na posse da chave da motocicleta, informou em depoimento, que foi contratada para pegar a moto. A motocicleta estava sem placa e foi identificada pela numeração do chassi. 

Um outro participante surgiu nas investigações em razão de pix efetivado para conta de um primo, com dinheiro retirado da conta da vítima. .Mais um bandido apareceu na apuração identificado, como sendo a pessoa que compareceu no estabelecimento comercial em que as vítimas trabalhavam, para solicitar a entrega de R$ 30.000,00. 

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo