Casos de PolíciaComando Vermelhotráfico de drogas e armas

Bazuca do Juramento agora é gerente na Penha (CV)

Um inquérito sobre o tráfico de drogas nas comunidades da Fé e do Sereno no Complexo da Penha, na Zona Norte do Rio, aponta que o bandido Gilvan Leite da Silva, o Gilvanzinho ou Bazuca, que até bem pouco tempo era o chefe do Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, agora gerencia essas duas localidades na Penha.

Ao todo, há 18 réus em um processo que tramita ainda como inquérito na 21ª Vara Criminal da Capital do TJ-RJ. Todos tiveram a prisão decretada em dezembro

Segundo as investigações, Edgar Alves de Andrade, o Doca, é o chefe do tráfico no Complexo da Penha. O segundo na hierarquia é Pedro Paulo Guedes, o Urso.

Cláudio Henrique também seria o outro gerente das bocas de fumo nas duas comunidades e faria a contenção/segurança dos locais.

Os denunciados Jean, Bruno, Wesley, Hiago, Carlos Augusto, Rodrigo, Israel, Matheus Santos, Mateus Xavier, Geovani e Lucas Rafael também exercem a função de contenção/segurança da localidade.

Marcus Vinicius atuaria como “estica” da “boca de fumo” conhecida como “Lajão”, revendendo as drogas; Igor Ferreira atuaria como vendedor de substâncias entorpecentes e atuaria como contenção/segurança na boca de fumo conhecida como Avrão. Leonardo seria o gerente do Avrão e Herbet exerceria a função de vendedor das substâncias entorpecentes da “boca de fumo” conhecida como “Lajão”.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo