Bocas de fumo (CV) em Friburgo chegavam faturar até mais que R$ 1 milhão por mês

As bocas de fumo do Alto da Olaria, em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, faturavam semanalmente de R$ 200 mil a R$ 300 mil, segundo os autos do processo que condenou 35 traficantes do  Comando Vermelho (CV), conforme foi divulgado ontem (29/04). A polícia chegou a apreender uma contabilidade onde haviam anotações que chegavam a R$ 1 milhão.

Na comunidade, haviam vários preços de drogas: pó de R$5,00, pó de R$10,00, pó de R$20,00, pó de R$30,00, pó de R$50,00, maconha de R$5,00, maconha de R$10,00.

Tanto lucro fazia os traficantes investir pesado em armamento como fuzis que custavam R$ 60 mil no mercado negro e pistolas, que saíam a R$ 12 mil. A proteção advinha de ameaças de facções rivais ou de confrontos com a polícia, que eram constantes.

Um bar servia de base para o tráfico. Lá, usuários trocavam objetos ou equipamentos por entorpecentes. Em uma busca no local, a polícia apreendeu de uma só vez relógios, farta quantidade de telefones celulares, de cordões, pulseiras, anéis, brincos e pingentes, faqueiro prateado contendo 18 peças, aparelho para fisioterapia e cartões bancários.  

O dono do estabelecimento era suspeito de lavar o dinheiro do tráfico, inclusive se utilizando de notas frias de festas que nunca eram realizadas  .

Uma padaria também era utilizada pelos traficantes. Foi lá que foi apreendido um grande arsenal bélico dentre os quais  um fuzil AK 47, calibre 7.62mm; um fuzil AK 15, calibre 5.56mm; dez granadas; 27 carregadores calibre 9mm; um carregador para pistola calibre .40; cinco carregadores para fuzil, calibre 7.62mm; 15 carregadores para fuzil, calibre 5.56mm; 49 munições calibre 7.62mm; 168 cartuchos calibre 7.62mm; e 399 cartuchos calibre 5.56mm. Os fuzis tinham a inscrição MDP, que significa Morro da Pedra, que faz parte do Complexo do Alto da Olaria.