Casos de Políciacorrupção policialinvestigação

Chefão do crime deu esporro em mulher da quadrilha que divulgava que pagava propina a PMs. ‘Linguaruda, traficante de m…’

Um processo aberto pela Justiça em 2018 revela que traficantes brigaram em Barra Mansa porque uma integrante da quadrilha divulgava a terceiros que policiais militares estavam recebendo dinheiro para não reprimir o tráfico de drogas no local (“arrego”).


O chefe do bando demonstrou insatisfação com a mulher com alertando que ela deveria ser mais contida nas conversas com terceiros, sob pena de ela ser prejudicada, tachando-a de “traficante de merda” .


  O líder da quadrilha reclamava que a moça não conseguia quitar os valores das cargas recebidas e a cobrança se dava de forma veemente 

“Você está esculachando os outros aí, bancando vagabundo aí, falando que tem traficante de merda” e de que “nem bandida você é, você pra mim é uma comédia”  

O chefe dizia que a mulher era linguaruda, falava demais e que era para falar menos. Ela chegou a reagir as reclamações dizendo que quando estava lombrado a boca era ela que botava a cara; que ela fala claramente que ‘ quando esta lombrado eu banco na sua boca’.

A investigação era sobre o tráfico de drogas no bairro Vila Brígida. 

A mulher, que se chamava Letícia, já é falecida enquanto que o chefão foi absolvido neste processo, que tramitou em segredo de Justiça.

https://processo.stj.jus.br/processo/revista/documento/mediado/?componente=ATC&sequencial=125038380&num_registro=202100493209&data=20210426&tipo=91&formato=PDF

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo