Amigo dos AmigosCasos de PolíciaTerceiro Comando Puro

Chefão dos Macacos responde a vários homicídios mas ainda não foi condenado

Chefão do tráfico no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio de Janeiro. há vários anos, Leandro Nunes Botelho, o Scooby, responde a vários processos na Justiça acusado de homicídios desde 2013 e nunca foi condenado por esses crimes até agora. 

A maioria dos delitos a que Scooby é apontado como participante ocorreu na época em que ele era vinculado à facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA). Hoje, ele está associado ao Terceiro Comando Puro (TCP).

Um dos casos relatados ocorreu em 28 de dezembro de 2012 quando Belmiro Alves da Cruz Filho, Jorge Abdenago Lopes Mesquita e Luiz Carlos Rugino Rodrigues da Silva foram mortos no Morro do Urubu, em Pilares, na Zona Norte.  

As informações apontaram que os disparos que atingiram e mataram as três vítimas foram decorrentes da invasão de traficantes de drogas oriundos da facção criminosa rival ou de outra localidade diversa da do Urubu na época. 

Outra ação na Justiça informou a participação de Scooby em um homicídio consumado e dez tentativas de assassinato no Morro do Fubá, em Cascadura na Zona Norte do Rio. Na ocasião, foram desferidos vários disparos de arma de fogo, no meio de uma praça, contra as pessoas que ali estavam. Os atiradores estariam ali tentando invadir o Morro do Fubá, região ocupada por outra facção criminosa. 

Um processo que ainda tramita relata que, entre os dias 24 e 26 de Janeiro de 2015, no interior do Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte, Scooby teria participado do homicídio de Deiverson Bruno Silva dos Santos.

Consta dos autos que no dia 24/04/2015, o local do fato vinha passando por uma batalha enter os traficantes do Comando Vermelho e ADA. 

Neste dia, a vítima encontrava-se em sua residência acompanhada de seus pais e sua irmã, quando homens fortemente armados, intitulando-se integrantes da facção ADA ordenaram a abertura da porta.´

Os criminosos arrebataram a vítima executando-o no local incerto e sob condições ainda não descobertas. No dia 26 de Janeiro de 2015 o corpo em decomposição foi deixado em via pública, em frente ao prédio da Associação de Moradores do Juramento.

O crime foi cometido por motivo fútil, já que a razão foi o fato do denunciado e seus comparsas acreditarem que a vítima seria integrante da facção rival. ´

O levantamento do InformeAgora descobriu ainda que Scooby é réu ainda no processo que vai julgar sua culpa pelo assassinato de Flávio Duarte de Mello, em agosto de 2012.

O corpo de Flávio foi achado dentro da padaria dele na Rua Armando de Albuquerque, em um dos acessos ao Morro dos Macacos. 

O crime foi planejado pelos traficantes locais insatisfeitos com a instalação da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) na comunidade já que a vítima, além de se dedicar a ações sociais na favela, mantinha contatos próximos com os PMs da UPP que impediam ou atrapalhavam a realização do tráfico de drogas reduzindo, assim, os lucros obtidos com a venda de entorpecentes. 

Além destes crimes, o Portal Procurados do  Disque Denúncia informou que Scooby foi apontado como o suposto mentor da ação que liderou o grupo de dez homens armados que tentou resgatar os traficantes Alexandre Bandeira de Mello, o Piolho, e Vanderlan Ramos da Silva, o Chocolate, do Fórum de Bangu em 2013. Não virou réu, no entanto, neste caso.

Quando do resgate ocorreu um intenso tiroteio entre traficantes e policiais militares. Na ação uma criança foi morta. Ela tinha oito anos e se chamava Kayo da Silva Costa. O PM que morreu, identificado como o 3º sargento Alexandre Rodrigues Oliveira, de 39 anos, fazia a segurança da portaria do Fórum. O menino ia para um treino de futebol de salão no Bangu Atlético Clube.

Segundo o Portal, Scooby esteve envolvido no sequestro e espancamento de militares do Exército em setembro de 2009. Eles erraram o caminho e entraram na comunidade dos Macacos.

Quando se encontravam nas proximidades do Morro dos Macacos, os militares foram abordados por dois traficantes, armados com pistolas, mandaram que as vítimas desembarcassem dos veículos. Os criminosos revistaram as vítimas, questionando se eram policiais, procedendo em seguida, a uma revista nos veículos por elas conduzidos.

Após encontrarem a farda no veículo de umas das vítimas que é militar, os criminosos se comunicaram com seus comparsas via rádio, informando que haviam captado um ´alemão´ (integrante de uma facção criminosa rival), recebendo a ordem de levarem as vítimas para a parte elevada do Morro dos Macacos.

Ainda segundo o Portal dos Procurados, Investigações policiais apontaram que Scooby supostamente matou o antigo chefe do tráfico do morro dos Macacos, Luiz Carlos da Silva, o Sangol, no dia 30 de dezembro de 2004. Sangol teria repreendido Scooby pelos crimes ocorridos nas proximidades do morro.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo