Casos de PolíciaComando VermelhoDenunciaGuerra entre facçõesinvestigaçãoTerceiro Comando Puro

Chefe da Tropa do Lampião que ajudou o CV a tomar o Complexo da Alma foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão. Bando foi flagrado cortando a cabeça e braço de pessoas. Confira como foi a investigação que descobriu invasão de bandidos do Norte e Nordeste a São Gonçalo

Max Miliano do Nascimento, o Lampião, integrante da chamada Tropa do Lampião, grupo de traficantes paraenses e cearenses que ajudaram o Comando Vermelho a tomar o Complexo da Alma, em São Gonçalo, foi condenado no final de agosto a quatro anos e seis meses de prisão.

Segundo depoimento de um policial civil,  os ´Predinhos´ eram comandados pelo Comando Vermelho junto com outros elementos da mesma facção de outras regiões que vieram em apoio à invasão do Complexo da Alma, que era da facção Terceiro Comando Puro (TCP); que a partir disso aconteceram vários homicídios,.

Então a Delegacia de Homicídios deu início a uma investigação para apurar esses crimes e puderam observar que tinha um grupo, que cometia homicídios, roubos e tráfico na região, oriundos de várias localidades.

]A investigação durou aproximadamente dois anos e meio a três anos; que a associação para a prática de tráfico era estável e hierarquizada, pois o grupo dominava o local há muitos anos e, para expandir o seu território, decidiu retomar o Complexo da Alma.

O chefe era  o vulgo ´Marcelo do Pira´, e todas as ordens partiam dele em relação ao que acontecia dentro da comunidade, seja invasão, tráfico, homicídio, quem iria matar, quem iria fazer; que Marcelo tinha ciência e determinava.

Lampião veio com um grupo de pessoas do Comando Vermelho do Norte em apoio à invasão; que a princípio, pelo que o setor de inteligência constatou, tal grupo estava baseado no Complexo do Salgueiro, contudo, posteriormente, foram para o Joquei e Comunidade do Anaia, e, a partir dali, deram apoio à retomada do território do Comando Vermelho perdido há alguns anos.

O setor de inteligência recebeu informações e dados de alguns relatórios de inteligência oriundos do estado do Norte por troca de informação entre as polícias.

Algumas testemunhas relataram em seus termos que havia pessoas do Norte com sotaque na localidade e falavam sempre do ´Bonde do Lampião´; que há vídeos na internet desse grupo cortando cabeça e braço de pessoas na prática de tortura; que é uma associação fortemente armada.

Os policiais constataram que se tratava do ´Lampião´ junto com outros comparsas; Quatro ou cinco semanas após uma tortura o 7º BPM entrou no Complexo do Salgueiro e dois ou três nacionais do Ceará, do ´Bonde do Lampião´, foram mortos em confronto com a Polícia Militar.´.
 
A testemunha esclareceu: ´que através de dados coletados pela subsecretaria de inteligência, pelo setor de inteligência e pela polícia do Ceará, constatou-se que Max Miliano é um dos chefes do tráfico de drogas do Comando Vermelho no Norte que veio dar apoio à invasão do Complexo da Alma; que afirma que nos autos há testemunhas que falam acerca do ´Bonde do Lampião´, que estava no Complexo do Anaia, especificamente em um casarão; que os policiais decidiram não adentrar a comunidade porque poderia haver grande confronto armado, contudo, sobrevoaram diversas vezes com drone e observaram a movimentação de bandidos fortemente armados, inclusive com armas de grosso calibre, como fuzis.

A identificação de Max Miliano como ´Lampião´ ocorreu em razão de dados trocados com a polícia civil do Ceará; 

Uma mulher que o policial civil acredita que se trata de alguma testemunha de homicídio relatou que Lampião´ seria um velho oriundo da Paraíba; que a polícia do Ceará já estava monitorando Max Miliano.

O delegado titular de uma delegacia que estava a frente da investigação no Ceará monitorava o grupo e afirmava que eles estavam no Rio de Janeiro, inclusive, forneceu a localização de onde o grupo se encontrava; que a subsecretaria de inteligência confirmou os dados; que o depoente não sabe identificar os nacionais de vulgo ´Paraíba´, ´Shok´, ´Marreco´, ´Carlin´, ´Junin Pivete´, ´Fortin´, ´Russin´, ´K2´, ´Davi´ e ´Berinjela´ porque não foram indiciados, todavia, o setor de inteligência possui a identificação e se trata de outra investigação em curso.´.

Um delegado disse que iniciaram investigação na Delegacia de Homicídios devido a vários homicídios que ocorreram em face de uma guerra entre as facções Comando Vermelho e Terceiro Comando Puro na região; que a investigação apurou a participação da maioria dos denunciados nos homicídios; que instauraram um inquérito de associação para o tráfico em face do Comando Vermelho na localidade dos ´Predinhos´ do Jóquei,em cima de relatórios e oitivas em outros inquéritos policiais; que a associação era estável, permanente e estruturada, pois apuraram efetivamente o chefe, gerente e aqueles que eram braços armados; que já demandava certo tempo que acontecia o tráfico de drogas e associação para cometer crimes de homicídios na região, além de outros decorrentes, como o controle de ´gatonet´ e de fornecimento de gás; que fizeram operação na região; que a guerra do tráfico começou por volta de novembro e foi até meados de março; que os homicídios eram monitorados há pelo menos três anos; que até a presente data existe certo conflito na região; que, segundo apurado, houve apoio de outras regiões de São Gonçalo e de fora do estado para que houvesse a invasão do Complexo da Alma.

De acordo com informes e notícias,´Lampião´, seria braço armado na invasão do Complexo da Alma e isso foi cantado, inclusive, em músicas e funks; que o setor de inteligência conseguiu compilar as informações que deu margem para representar pela prisão dos integrantes.´. 

Questionada pela defesa, a autoridade policial esclareceu que foi apurado que havia um grupo do Ceará apoiando a invasão e, a partir do contato feito com a polícia do Ceará, chegaram à identificação de Max Miliano como vulgo ´Lampião

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo