Casos de Políciacorrupção policialDenunciainvestigaçãoOperação PolicialPrisão

Confira o quem é que quem na quadrilha comandada por Rogério Andrade

A

 As investigações que resultaram hoje em uma operação para desarticular a quadrilha comandada pelo contraventor Rogério de Andrade mostra  o quem é quem na organização criminosa.

Além de Rogério 01 e seu filho, Gustavo, o segundo na hierarquia, o bando tinha o PM Araújo como o chefe geral da segurança e o também PM Pinheiro como chefe da segurança pessoal de Rogério.

Primo do chefão, Alexandre seria um importante pilar na organização criminosa, especialmente por atuar diretamente na tomada de território e no exercício da força como modus operandi na atividade ilícita.

Mug seria o responsável pela gestão dos negócios da contravenção em relevante território geográfico, especialmente no que toca ao controle de produtividade financeira, o adequado funcionamento dos sistemas eletrônicos e a difusão de informações sobre possíveis operações policiais nocivas aos negócios;.

Feijão seria o gestor de casas de jogos, além de exercer papel de relevo na segurança e na vida pessoal de Rogério.

Amaury Banca ou Magrão seria o responsável pela interlocução do grupo com a Polícia Civil, especialmente para viabilizar a instalação de um grandioso e nefasto esquema corruptivo, tanto para fins de tratativas e ajustes, como para materialização dos pagamentos de propina.

Ronnie Lessa, delegado Marcos Cipriano, Kadu, Suel, Leandro R, Jefferson e Renatinho atuavam diretamente na expansão e controle territorial na exploração de jogos ilícitos, na arrecadação e lavagem de dinheiro, bem como no ajuste e implementação de acertos corruptivos com agentes estatais .



Em paralelo, foi apontado núcleo tecnológico da organização criminosa voltado à missão de manter hígidos os sistemas informatizados e as máquinas destinadas ao funcionamento do esquema de jogos e apostas ilegais.
Segundo relatório de diligência, houve solicitação do MP/GAECO com a finalidade de identificar os provedores de hospedagem de site utilizado para desenvolvimento de atividades ilícitas, bem como a consequente identificação de eventuais IPs vinculados à operação. 

Houve acesso e análise de todo o conteúdo disponível no site apontado como sendo utilizado pela organização criminosa e, conforme informativo técnico, foi possível verificar tratar-se de instaladores de ´Jogos de Azar´ para sistemas operacionais. 


De acordo com as investigações,  há sérios e sólidos indicativos de que o suposto grupo criminoso se vale de uma estrutura e recursos tecnológicos de superlativa sofisticação, dimensionado para consecução de atividades negociais em escalas gigantescas. 

De outro lado, ainda é destacado que a suposta organização criminosa possuiria um braço que visa fazer valer o domínio de vasto território físico que ostenta, utilizando da capilarização da gestão dos negócios ilícitos como uma importante estratégia. 

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo