Casos de PolíciaDenunciainvestigaçãoViolência

Confundido com PM, motorista de aplicativo foi torturado por traficantes em Cabo Frio. Confira como ele escapou

Processo que tramita na Justiça de Cabo Frio desde março acusa seis traficantes de torturarem um motorista de aplicativo achando que ele fosse policial militar. 

De acordo com o depoimento da vítima, ele foi abordado por cerca de três homens, todos armados com pistolas, sendo dois indivíduos brancos e o outro negro, jovens, por volta de vinte anos, sendo o declarante revistado por eles e indagado do motivo de estar ali, quando então explicou que havia sido solicitada uma corrida em nome de Mariana, aproximando-se, em seguida, um homem moreno, magro, por volta de vinte e poucos anos, sem tatuagens à mostra, dizendo que, de fato, sua ´ficante´ de nome ´Mariana´ teria solicitado uma corrida para São Pedro da Aldeia e que, por ele, o declarante estaria liberado. 

Narra a vítima que, em seguida, os indivíduos decidiram olhar o telefone do declarante e encontraram diversas fotografias de quando o depoente servia como fuzileiro da Marinha, foi quando eles decidiram vendar o declarante e disseram que o depoente iria ficar detido na favela até que o chefe decidisse o que seria feito, sendo a vítima levada a uma casa onde foi amarrada com fios e, vendada, a vítima passou a ser agredida, por diversos indivíduos, com socos e chutes. 

Afirmou  o motorista que passadas as horas, foi feito contato com o chefe da comunidade, que falou com o declarante ao telefone, lhe fazendo diversas perguntas, inclusive se seria policial, o que foi negado pelo depoente, relatando a vítima que então o chefe dos indivíduos, que não sabe identificar, lhe disse que o liberaria no fim do dia. 

Informou a vítima que foi acompanhado por dois homens e saíram da casa na rua Walter Rollman e caminhou pela rua 7, pela rua 2, até que encontrou seu pai, que foi até a comunidade após ter acesso à última localização do celular do depoente. 

Os seis traficantes tiveram a prisão preventiva decretada: Vaguinho, Arame, Drogadão, Baiano, 2N e João Victor.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo