Amigo dos AmigosBizarroCasos de Políciahomicídio

Decapitação e esquartejamento de jovem em Campos teve participação de 11 bandidos da ADA. Ordem veio de presídio. Confira passo a passo

Investigação policial aponta detalhes sobre como o jovem Guilherme Gomes Bravo foi assassinado e teve o corpo decapitado por traficantes da facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA) em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense,  só porque morava em uma região dominada pelos rivais do Terceiro Comando Puro (TCP).

Um traficante preso mandou um áudio para os comparsas de dentro da cadeia dando ordens para cometer os crimes. Onze bandidos foram denunciados.

No dia 15/08/2020, nas imediações da Estrada do Brejo Grande, Parque Aeroporto, foi encontrado o corpo decapitado, desmembrado, identificado como sendo da vítima

De acordo com as informações dos autos, trata-se de fato complexo e as investigações se iniciaram quando um PM recebeu determinação para comparecer no local acima mencionado, pois a cabeça de um homem havia sido encontrada.

Chegando ao local, o policial constatou que havia a cabeça de um homem com um saco de cimento próximo da mesma, mas não visualizou o corpo.

O policial militar, ao depor, disse que populares que estavam no local o informaram que um homem negro conduzindo uma motocicleta vermelha deixou o saco de cimento com a cabeça em seu interior e fugiu.

O padrasto da vítima, compareceu em sede policial e disse que ela saiu da casa da avó de bicicleta, por volta das 16h do dia 08/08/2020, se dirigindo a casa da tia dela, localizada no Parque Boa Vista II, mas não chegou ao local, desaparecendo durante este trajeto.

Quando ele soube que uma cabeça havia sido encontrada no Parque Presidente Vargas e viu a foto, reconheceu como sendo de Guilherme Gomes Bravo.

Em novo depoimento, o padrasto afirmou que moradores do Parque Boa Vista II disseram que Guilherme foi levado por um Gol prata, com insulfilm, dirigido por ´Claudinho´, que já foi morador do local e ´pulou´ para a facção criminosa ADA, e que também estavam no referido veículo ´Tatá´ e ´Quiquinho´, sendo que eles estiveram rondando dentro das casinhas do Parque Boa Vista II antes de levarem Guilherme.

Os moradores também disseram para o padrasto que, alguns dias antes do homicídio de Guilherme, ´Claudinho´, ´Tatá´ e ´Quiquinho´ estiveram nas casinhas em um HB20 branco e uma moto CG vermelha e que o ataque foi a mando de ´Binho´, um dos chefes da facção criminosa ADA no Sapo I.

Em informação sobre Investigação acostada aos autos, consta que informante anônimo compareceu na Delegacia de Polícia afirmando que os autores do homicídio da pessoa que teve parte de sua cabeça encontrada no dia 08/08/2020, na ´Rua da Vala´, foram ´Claudinho´, ´Tatá´, ´Quiquinho´ e ´Binho´, que são integrantes da facção criminosa ADA, e que o mentor intelectual deste homicídio foi ´Barrão´.

Ainda segundo o informante, os autores do homicídio em tela utilizaram um Gol prata, um HB20 e uma moto vermelha para praticar o delito e foram até a entrada do Parque Boa Vista para realizar um ataque, ocasião na qual mataram Guilherme.

Uma testemunha ao depor, disse ser morador do Parque Boa Vista II, já ter feito parte do tráfico de drogas, mas não ter mais envolvimento, e que está sendo perseguido por integrantes da facção criminosa ADA que, constantemente, vão ao bairro para tentar matá-lo, utilizando-se, nos ataques, de um VW Gol prata, de um HB20 branco e de uma moto CG Titan vermelha (que fica na contenção para avisar sobre a chegada da polícia enquanto integrantes da facção criminosa ADA invadem o Boa Vista II para tentar matá-lo), sendo que já participaram de tais ataques, ordenados por Marcelo ´Barrão´, seus comandados ´Claudinho´, ´Binho´, ´Tatá´ e ´Quiquinho´.

Ainda de acordo com o depoente, no dia 08/08/2020, de tarde, estiveram no Boa Vista II, no Gol prata, ´Claudinho´, dirigindo (tendo Lucas visto o mesmo), bem como ´Quiquinho´ e ´Tatá´, sendo que o HB20 também esteve rondando ´nas casinhas´ na tarde do dia 08/08/2020 e, como não encontraram ninguém, foram embora, cruzando, no caminho, com Guilherme (que estava em uma bicicleta chegando nas casinhas do Boa Vista II), levando-o.

A testemunha teria afirmado que os ataques são ordenados por ´Barrão´, coordenados por ´Binho´ e que ´Claudinho´ é ex-morador do bairro, conhecendo a todos e por isso vai ao local realizar ataques. Por fim, o depoente disse que ele e os moradores do ´Boa Vista´ não saem do bairro com medo de serem mortos.

Além disso, no dia 12/08/2020, foi recebida uma ligação na Delegacia na qual o interlocutor disse saber quem eram quatro dos participantes do homicídio de ´um rapaz que tiraram a cabeça´, que seriam ´Claudinho´, ´Quiquinho´, ´Bibinho´ e ´Tatá´, todos da ´Sapo I´, integrantes da facção criminosa ADA, e ´pessoal de ´Barrão´, dizendo que ´essa turma´ anda rondando o Parque Boa Vista II, que ´Claudinho´ conhece bem a área, pois já morou ali, e que, com certeza, vieram para dar um ´bote´, formando um ´bonde´ (uma moto Titan vermelha, um HB20 branco e um Gol prata) para invadir o Boa Vista II, encontram o rapaz que ´não tem nada a ver´ no caminho, já próximo das casinhas do Boa Vista, ´deram um esculacho no muleque´ e o levaram, tendo ´Tatá´ (que estava na moto) jogado a cabeça na ´Rua da Vala´ e ´Quiquinho´ e ´Claudinho´ estavam no HB20.

Em outra Informação sobre Investigação acostada aos autos, consta  que ´Barrão´, que se encontra preso em Bangú, recentemente, enviou áudio (transcrição juntada aos autos) ordenando seus comandados a matarem integrantes da facção rival TCP.

Ainda conforme a denúncia, o crime de homicídio em comento teria ocorrido por motivo torpe, eis que os elementos informativos revelaram que os denunciados integram a facção criminosa ADA, havendo ceifado a vida da vítima GUILHERME apenas porque ele residia em área dominada pela facção criminosa TCP, local onde foi arrebatado.

A referida infração penal teria sido praticada mediante meio cruel, eis que os denunciados decapitaram a vítima e desmembraram seu corpo, tendo deixado, inclusive, parte de sua cabeça em via pública,

O presente crime teria sido cometido mediante recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa da vítima, eis que os denunciados, em maior número, capturaram ela em via pública e executaram os crimes de homicídio e ocultação de cadáver, a mando do líder do tráfico de drogas, vulgo ´Barrão´.

Após investigações, inclusive em atuação coordenada com a apuração de outros homicídios praticados na região, foi possível identificar a autoria do crime.

Segundo a Autoridade Policial, trata-se de ação coordenada e com divisão de tarefas definida pelos líderes da organização criminosa ADA, convergindo para a execução do homicídio, destruição e ocultação do cadáver de adolescente residente em área de disputa pelo tráfico de drogas

Com efeito, com os áudios juntados e com as demais diligências produzidas pela Delegacia de Polícia, segundo o órgão ministerial foi possível identificar a participação dos denunciados, conforme segue em resumo.

Os denunciados Tatá, Quiquinho e Claudinho ´ teriam atuado na captura da vítima. Narra a denúncia que a vítima conduzia sua bicicleta pela via pública quando teria cruzado com os integrantes da facção criminosa em retirada, ocasião em que teria sido capturada.

Barrão teria ordenado o crime, que teria sido coordenado por Binho O denunciado vulgo ´K9´, que seria interlocutor do chefe da facção Barrão, teria se desincumbido de repassar a ordem a Júnior Bala , a fim de dificultar a imputação dos atos criminosos praticados ao referido filho do líder.

O denunciado vulgo Dezoito teria atuado delegando tarefas quanto à preparação da cova, ocultação do corpo, desterro, além de ter dispensado parte da cabeça da vítima deixada em via pública auxiliado pelo denunciado Carlos Henrique.

A motocicleta utilizada no crime foi localizada na residência de dois denunciados (Barrão e Dezoito)  com cópia da chave encontrada na casa de um adolescente.

Tatá, Binho e Branco também atuaram na preparação do local de ocultação e desterro do corpo da vítima. O denunciado Binho  fazia uso de tornozeleira eletrônica à época, com intensa movimentação registrada na localidade da mata existente no Sapo 1 e, segundo apurado, ele estaria presente durante a execução da vítima.

Branco que chefia o tráfico de drogas da localidade Sapo 1, teria sido o responsável por ordenar a seu subordinado, Dirceu, o transporte do corpo.

O denunciado Velhinho teria sido flagrado portando arma de fogo sendo que este, na estrutura da facção criminosa ADA, é o responsável pelo fornecimento de armamento aos integrantes.

Dirceu teria auxiliado o grupo no transporte do corpo da vítima

Mostrar mais

PUBLICIDADE

Aguarde 10 segundos e clique em fechar publicidade para visualizar a notícia.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Encontramos um bloqueador de anúncios em seu navegador. Desabilite-o para navegar