Casos de Políciamilícia

Denúncias apontam que bando de Tandera obriga pessoas a prestar falso testemunho, praticam estupro contra adolescentes e instituiu ‘tribunal’

Denúncias recebidas pela reportagem apontam que a milícia dominada por Danilo Dias Lima, o Tandera, obrigaria pessoas a prestarem falso testemunho de modo a tirar a culpa deles de crimes que cometem.


Segundo relatos, quem contraria as ordens do grupo passam pelo ‘tribunal’ da milícia muitas vezes não sendo mais vistas. Se não aceitarem ir, são expulsas. 


Há informações de que três jovens teriam sido mortos pelo bando mas os corpos ainda não foram encontrados. 
A quadrilha, de acordo com as denúncias, pratica estupro contra adolescentes de 13 anos. Elas não teriam direito de escolha. Se não aceitar, a família perderia a casa. 


O bando estaria cobrando R$ 300 por semana de motoristas de vans que circulam pelo Jesuítas, em Santa Cruz, dinheiro que tem que ser entregue todas as terças-feiras. 


Chegou para reportagem que a organização cobraria R$ 15 mil todas as sextas-feiras de uma cervejaria localizada na Estrada Rio-São Paulo em Campo Grande, na Zona Oeste. Exigiram taxa também de um posto de gasolina. 


Há relatos de que uma van que faz ponto na Central do Brasil e vai para Queimados transportaria armas e drogas para o grupo aos finais de semana.


Denúncias informam também que policiais militares fariam parte do bando e que um membro da quadrilha que seria militar também conseguiria informações privilegiadas de PMs ‘amigos’ e passa para Tandera.

Uma das bases de Tandera seria o condomínio Jardim Guandu, onde o grupo pratica extorsões cobrando taxas de comerciantes e moradores e se apropriariam de apartamentos e revenderiam para outras pessoas. .

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo