Casos de Políciainvestigação

Depois de quase três anos, Justiça aceita denúncia contra traficantes (TCP) pelo sequestro de ambulância na Maré para socorrer comparsa ferido

Somente depois de quase três anos, os traficantes do Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, tiveram a denúncia aceita pela Justiça no caso do sequestro de uma ambulância da UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) do conjunto de favelas para socorrer um bandido baleado.

A denúncia foi aceita no último dia 23 para um fato que ocorreu em abril de 2017. Ao todo, seis bandidos foram acusados, entre eles Thiago da Silva Folly, o TH, apontado como um dos chefes do tráfico na Maré. Tiveram também a prisão preventiva decretada.

.Segundo consta nos autos, desde o ano de 2012, os denunciados supostamente associaram-se entre si, com Fernando Gomes de Freitas, o Fernandinho Guarabu, e Antônio Eugênio de Souza Freitas, o Batoré, ambos já mortos, para em tese, praticar, o crime de tráfico ilícito de entorpecentes na comunidades da Vila dos Pinheiros, Vila do João, Salsa e Merengue, Fogo Cruzado, Conjunto Esperança, Timbau e Conjunto Nova Maré, todas situadas no Complexo da Maré, integrando a organização criminosa Terceiro Comando Puro (TCP).


Os traficantes privaram um médico e um segurança de sua liberdade, fazendo com que entrassem, juntamente com diversos bandidos, em uma ambulância da UPA para fazer a remoção de um comparsa, gravemente ferido em provável confronto policial, para local indevido.

Diante do exposto, supostamente constrangeram  o motorista da ambulância, por meio do uso de armas de fogo, a retirar seu macacão e as suas botas, entregando-as a um homem não identificado que as vestiu e assumiu a direção da ambulância que transportava o traficante ferido.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo