Casos de PolíciaDenunciahomicídioinvestigação

Desembargadora cassa decisão judicial e determina retomada de processo que vai julgar traficante do Chapadão (CV) que determinou tortura e execução de homem por relacionamento amoroso com uma mulher e divulgação no WhatsApp

A desembargadora Maria Sandra Kavat Direito da Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro cassou a decisão em 1ª instância da Corte fluminense que havia rejeitado a denúncia contra traficante do Complexo do Chapadão acusado de matar um homem em 2018 porque ele teve um relacionamento com uma mulher.  


Com a decisão, foi determinado o prosseguimento do feito que havia sido rejeitado em outubro do ano passado.


  No dia 14 de janeiro de 2018, por volta das 09h, na localidade conhecida como “Final Feliz” no Complexo do “Chapadão”, indivíduos efetuaram disparos de arma de fogo contra Isaias Augusto da Silva, que veio a óbito.  

  A vítima foi capturada no interior da comunidade, onde foi dominada, amarrada com fita “silver tape”, torturada e executada. 


 Após a execução da vítima, os bandidos fotografaram  e divulgaram no aplicativo WhatsApp. 
Além disso, ocultaram o cadáver.

É réu no processo um traficante de vulgo Monstrão, que teria dado ordens para o crime ser cometido.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo