Casos de PolíciaComando Vermelho

Morte de Elias Maluco ocorre semanas após ele se desentender com Marcinho VP

O traficante Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, condenado pela morte do jornalista Tim Lopes, da TV Globo, em 2002, foi encontrado morto no presídio federal de Catanduvas, no Paraná.

Segundo o que o Informe Agora publicou recentemente, ele teria tido um desentendimento com Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP dentro da cadeia e acabou caindo na hierarquia da facção criminosa Comando Vermelho (CV), supostamente perdendo o controle do Complexo da Penha, na Zona Norte do Rio.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O motivo da desavença seria a entrada de Márcio Cândido da Silva, o Porca Russa, no Conselho Permanente do CV.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O Departamento Penitenciário Nacional informa sobre o falecimento do preso Elias Pereira da Silva na tarde desta terça-feira (22/09/2020), na Penitenciária Federal em Catanduvas.

O local foi preservado até a chegada da Polícia Federal que foi acionada para fazer a perícia.

A família foi comunicada pelo Serviço Social da unidade. O Depen Informa, ainda, que preza pelo irrestrito cumprimento da Lei de Execução Penal e que todas as assistências previstas no normativo são garantidas aos privados de liberdade que se encontram custodiados no Sistema Penitenciário Federal.

Em 2 de junho de 2002, o jornalista Tim Lopes, que na ocasião fazia uma reportagem sobre abuso sexual de menores e tráfico de drogas em bailes funk na favela Vila Cruzeiro, bairro da Penha, foi sequestrado e levado por um grupo de traficantes liderado por Elias Maluco para a Favela da Grota no Complexo do Alemão, onde foi torturado e morto,[4] após ter sido descoberto com uma microcâmera tentando filmar a venda de drogas no local.[5]

De acordo com depoimentos de traficantes ligados a Elias Maluco, presos poucos dias depois pela polícia torturaram o repórter queimando seus olhos com um cigarro, esquartejou o corpo com uma espada de samurai, tendo em seguida o cadáver sendo incinerado com pneus e gasolina numa gruta conhecida entre os locais como o “microondas”

Após intensas buscas, os restos carbonizados do corpo de Tim Lopes foram encontrados no dia 12 de junho, num cemitério clandestino da Favela da Grota.[4]

Elias Maluco foi condenado em dezembro de 2002 a 13 anos de prisão pelos crimes de tráfico e associação para o tráfico de drogas, num processo que envolvia o cantor Belo. Em 10 de novembro de 2003, foi condenado a 18 anos de prisão pela 23ª Vara Criminal do Rio de Janeiro pelos mesmos crimes no âmbito de outro processo,e em 25 de maio de 2005 foi condenado a 28,5 anos de prisão pelo 1º Tribunal do Júri do Rio de Janeiro pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, formação de quadrilha e ocultação de cadáver no caso do assassinato de Tim Lopes.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo