Casos de Políciahomicídioinvestigaçãomilícia

Escutas flagraram miliciano falando em matar testemunha que foi achada morta após delatar ex-comparsas

Escuta telefônica feita sob autorização da Justiça revela que um miliciano integrante da quadrilha de Itaguaí planejou a morte de um ex-membro do grupo que o teria delatado a organização criminosa.

A vítima do homicídio foi André Vítor de Souza Correa, o Dufaz, que foi encontrado morto este ano. Ele foi achado sem vida com diversos disparos de arma de fogo e sinais de tortura, apenas uma semana após ter prestado seu depoimento no processo originado a partir da dita operação Freedom.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Dois anos antes da morte de Dufaz, o miliciano conhecido como Gedai foi flagrado em uma interceptação telefônica dizendo que ´Dufaz´ teria que morrer.

Em uma outra escuta, ele falou com um comparsa´ sobre matar ´Dufaz´, afirmando que ele estaria entregando até inocentes e se mostrando chateado, uma vez que ´teria dado maior moral para ´Dufaz.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

  Dufaz  prestou depoimento em sede policial no inquérito que apura homicídios praticados pela milícia, o qual foi integrante da mesma organização criminosa e, por motivos pessoais, resolveu delatar seus comparsas,  Em tal depoimento ´Dufaz´ afirma que ´Gedai´, teria participado de um desses homicídios.  

Gedai foi o encarregado da milícia de expandir seus domínios para Muriqui, distrito de Mangaratiba, na Costa Verde. Ele acabou baleado há dois anos em um tiroteio com paramilitares rivais na localidade.

Na época, foi arrecadado com ele um telefone celular em que foram descobertas conversas em que ele demonstrava o desejo de invadir Muriqui e matar rivais.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo