Casos de PolíciainvestigaçãoOperação PolicialTerceiro Comando Puro

Família de Peixão (TCP) na linha de frente do tráfico em Paracambi

Um parente do traficante Álvaro Malaquias Santa Rosa, o Peixão, é suspeito de participar da linha de frente do tráfico na cidade de Paracambi, na Região Metropolitana do Rio.

Ele teve a prisão preventiva decretada no início deste ano juntamente com sete suspeitos de fazerem parte de uma quadrilha que age no município. 

As informações constam em inquérito policial nº 051-01071/2018, para apurar condutas que configuram a prática do crime de associação para o tráfico ilícito de drogas mas somente este ano houve denúncia.

As investigações revelaram que a organização criminosa é estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas, ainda que informalmente, em como sua atuação no Complexo de Lages, o qual é composto por quatro comunidades: Casinhas, Favelinha, Praça do Miro e Morro da Serrinha, sendo todas dominadas por integrantes da facção criminosa autodenominada Terceiro Comando Puro – TCP. 

A partir dos dados coletados no inquérito supracitado e levantamento de subsídios relativos a essa pecha criminal, foi possível constatar que toda a droga comercializada no complexo de Lages é oriunda das favelas de Acari, Complexo da Maré, Parada de Lucas, Cidade Alta (Cordovil) e Vigário Geral, todas na capital, que estabelecem conexão criminosa visando apoio para manutenção das áreas dominadas, bem como para estender seus campos de atuação para outras áreas de exclusão social, cuja situação topográfica e ausência de estrutura favorecem as articulações da organização, quais sejam, manter e incentivar de forma sistemática o tráfico ilícito de drogas e demais atividades criminosas. 


Esse mesmo familiar de Peixão já havia sido preso em 2019 por tráfico mas acabou absolvido. 

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo