Casos de PolíciaComando VermelhoGuerra entre facçõesmilíciaTerceiro Comando PuroTiroteio

Grande Rio teve 63 guerras entre quadrilhas desde junho. Três regiões concentram os embates na capital (Praça Seca, Cordovil e Tomás Coelho)

Em quase três meses, a Região Metropolitana do Rio de Janeiro registrou pelo menos 63 tiroteios entre quadrilhas rivais (facções do tráfico e milícias), segundo um levantamento feito pelo Disque Denúncia (dados de 5 de junho a 29 de agosto).

Na capital fluminense, foram 42 denúncias, os confrontos se concentraram na Praça Seca, na Zona Oeste, com oito registros, Cordovil e Tomás Coelho, ambos na Zona Norte, com quatro cada.

Na Praça Seca, a guerra é entre milicianos e traficantes da facção criminosa Comando Vermelho (CV) que dominava a área e perdeu tudo para os paramilitares. Os confrontos deixaram pelo menos um inocente e um policial militar mortos.

Em Cordovil, os confrontos ocorreram entre os bandidos do Terceiro Comando Puro (TCP) e o CV. O TCP tomou dos rivais o controle da Favela Cinco Bocas e o CV tenta retomar a Cidade Alta.

Em Tomás Coelho, o TCP vem tentando invadir há vários meses o Morro do Juramento. Nos embates, também houve uma pessoa morta por bala perdida.

O Disque Denúncia explicou não há grande concentração de denúncias sobre o assunto em um ou mais bairros específicos, o que indica que os informes sobre esse tipo de assunto se apresentam de maneira dispersa entre as regiões denunciadas.

Entre os municípios, além da capital, os que tiveram mais confrontos denunciados foram Duque de Caxias e Japeri, ambos na Baixada Fluminense.

O número de disputas entre quadrilhas rivais no Grande Rio no período é inferior ao registrado na mesma época do ano passado, que teve 73 denúncias, embora tenha ocorrido um aumento considerável na capital.. Na ocasião, só na cidade do Rio, foram 25 e os confrontos se concentraram em Senador Camará (4), Realengo (3) e Jacarepaguá (3).

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo