Casos de PolíciaComando VermelhoGuerra entre facçõesTerceiro Comando Puro

Guerra entre o CV e o TCP espalhou terror por Cabo Frio durante 13 anos e colocou cidade entre as primeiras no ranking de homicídios

Uma investigação feita pela Polícia Civil revela detalhes da guerra que se instalou na cidade litorânea de Cabo Frio, na Região dos Lagos, durante pelo menos 13 anos (entre 2005 e 2018) entre traficantes rivais do Comando Vermelho (CV) e Terceiro Comando Puro (TCP). A disputa deu uma trégua, segundo a polícia, e já resultou em traficantes condenados este ano.

O TCP controlava as comunidades Jacaré, Itajuru, Tangará, Valão e parte do Peró enquanto que o CV dominava as localidades Porto do Carro, Estradinha, Boca do Mato e Vila do Ar.

Entretanto, segundo a polícia, havia constância das verdadeiras guerras de invasão e de retomadas de territórios entre as facções. 

O CV tinha, de fato, um projeto de invasão a territórios sob domínio da facção rival. 

O Comando Vermelho matou o líder do TCP na cidade, Leonardo Pessanha da Silva em 30/05/18 em um crime que contou com a participação de ex-integrantes do próprio TCP. 

A facção organizou ao menos três ‘bondes’ para a invasão da comunidade Tangará. Os ataques foram sempre rechaçados pelo TCP pela polícia havendo, entretanto, sempre temor e pânico entre a população dos locais de preparação da invasão.

  Há registro de variados delitos, incluindo ameaças de morte, lesão corporal e trocas de tiros. 

  A existência de guerras acirradas entre as facções colocaram a cidade de Cabo Frio em terceiro lugar no ranking de homicídios do Estado, por alguns anos.  

Os bandidos intimidavam coletivamente os moradores e coagindo-os a tolerá-los armados circulando pela localidade, impondo sua própria ordem aterrorizando a todos.  

 Moradores se viam obrigados a alterar suas declarações sob pena de morrerem ou verem mortos os seus familiares.  

“Merece destaque que a guerra por territórios na Comarca de Cabo Frio tem sido uma constante e provocado traumas nos moradores das comunidades submetidas mais diretamente à presença do tráfico organizado, destacando-se que as comunidades de Tangará e Peró já se submeteram outrora ao Comando Vermelho que as perdeu para o Terceiro Comando e busca a sua retomada agora face às perdas que vem sofrendo nas comunidades da capital e da Baixada Fluminense onde domina”, revela a investigação. 

A polícia diz que seu trabalho mostrou-se eficaz e logrou desbaratar as quadrilhas, colocando um ponto final, ainda que de modo pontual, nas ações bélicas continuadas que semeavam terror e morte.

Oito traficantes ligados ao TCP foram condenados este ano. 

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo