Guerra entre PCC e CV em Goiás já resultou em 109 homicídios consumados ou tentados desde 2019

Informações da Justiça de Goiás revelam que a disputa entre o Comando Vermelho (CV) e o Primeiro Comando da Capital (PCC) em Goiás já resultou em 109 homicídios no Estado desde o ano passado (até maio de 2020), entre consumados e tentados.

A disputa entre as duas facções em Goiás começou a ser investigada pela polícia local em janeiro de 2017.

Um ano após o início da guerra, uma rebelião em um presídio de Aparecida de Goiânia terminou com a morte de nove detentos ligados ao CV após uma disputa entre as organizações criminosas.

Relatório do Ministério da Segurança Pública estimou, no final de 2018, que as duas facções tinham, juntas, cerca de 1,5 mil integrantes em Goiás.

Em maio, supostos membros do CV sequestraram uma família por engano no Estado por acharem que havia pessoas ligadas ao PCC no meio. As vítimas foram ameaçadas de morte mas se salvaram.

O chefe do Comando Vermelho em Goiás, Jaeldson Alves de Souza fora preso no município litorâneo de Aquiraz, no Ceará, no mês de março.

As facções criminosas atuam em todo o território brasileiro, mas encontraram em Goiás um terreno fértil para plantar raízes. O Estado é geograficamente importante, está no Centro do País e faz divisa com cinco Estados e o Distrito Federal.

Por isso, trata-se de uma rota importante para o escoamento da droga que chega, principalmente, do Paraguai (maconha) e Bolívia (cocaína). Daqui, os entorpecentes chegam fácil a grandes centros consumidores, como São Paulo e o DF, além de dar acesso aos mercados do exterior.

Os criminosos agem como se as cidades de Goiás fossem território livre, vendem drogas, escondem parceiros em condomínios de luxo e, segundo um ex-secretário de Segurança Pública, têm até negócios “legais” (como agência de turismo). Numa casa, de um condomínio horizontal de alto luxo, foram encontrados uma Ferrari, um Lamborghini, um Porsche, mais de 1 milhão de reais em dinheiro e até um cheque (de uma pessoa conhecida da capital).

Além do PCC e do CV, há a atuação de outros grupos menores no Estado como o Primeiro Comando de Jataí, o Primeiro Comando da Baixada, Família Monstro, Bonde dos 40, Primeiro Comando de Anápolis e K2.

.