Casos de PolíciaGuerra entre facçõesinvestigaçãoOperação PolicialPrisão

Homens de Ecko se passavam por falsos policiais para extorquir e sequestrar bandidos rivais. Nove são presos

A Força-Tarefa criada pela Polícia Civil para combater as milícias prendeu, nesta terça-feira (30/03), nove integrantes da narcomílicia comandada por Wellington da Silva Braga, o “Ecko”. Os criminosos se passavam por falsos policiais, sequestravam e extorquiam traficantes e depois revendiam os entorpecentes que roubavam dos rivais.

A ação foi realizada por agentes da Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE). Com os nove presos foram apreendidos uma pistola e dois carregadores com 20 munições.

Junto ao grupo, dentro de uma mochila, os agentes encontraram uma sacola plástica com pasta base de cocaína, um tablete de maconha, dois papelotes também de maconha, 20 cédulas de identidade civil, em tese falsas, 12 cartões de crédito, um notebook e três máquinas de cartão. Na posse dos narcomilicianos estava também uma motocicleta e um carro, onde foi apreendido um caderno com anotações de pagamentos.

Segundo as investigações, os criminosos se passavam por integrantes de forças policiais oficiais para cometer os crimes. No momento da prisão, em Bangu, Zona Oeste do Rio, eles negociavam maconha e cocaína adquiridas em sua última empreitada.

De acordo com o titular da DCOD, delegado Marcus Amim, um dos presos nesta terça-feira estava entre os detidos em uma festa no sítio de “Ecko”, em abril de 2018. Na ocasião, 149 pessoas foram presas acusadas de envolvimento com a milícia. 

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo