Casos de PolíciaDenunciainvestigaçãoPrimeiro Comando da CapitalPrisãoTerceiro Comando Puro

Justiça mandou soltar em junho membro do PCC preso em reduto de Peixão (TCP). Essa semana decretou sua prisão de novo

A Justiça do Rio mandou soltar em junho André Pereira de Souza Gomes, o Cigano, cujo nome verdadeiro é  Adriano Pereira de Souza,  membro do Primeiro Comando da Capital (PCC) que havia sido preso após se aliar ao traficante Álvaro Malaquias Santa Rosa, o Peixão, um dos líderes do Terceiro Comando Puro (TCP).


No último dia 10, no entanto, após requerimento do Ministério Público Estadual, a Justiça decretou sua prisão preventiva. 


Ao justificar o alvará de soltura ao criminoso e a substituição da prisão por medidas cautelares, a Justiça do Rio alegou que não era de seu conhecimento o fato de contra Adriano Pereira de Souza constar mandado de prisão ativo, oriundo do Estado de São Paulo, decorrente de condenação por crime de tráfico de drogas.


Adriano havia sido preso em abril durante uma operação na Favela Parada de Lucas. Foi pego com carregadores de fuzil e 94 munições, além de roupas camufladas e coletes. 


A ligação do bando de Peixão com o PCC faz  parte de um plano expansionista do criminoso.


O bandido pretende criar uma rota de transporte de drogas, armas e outros ilícitos a partir do Rio de Janeiro em direção ao Norte do país.


Para isso, se uniu a três quadrilhas poderosas no Brasil: além do PCC, se aliou a facção Guardiões do Estado (GDE) no Ceará e Cartel do Norte (CDN), no Amazonas.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo