Loteria ilegal do PCC dava apartamento como primeiro prêmio

A facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) vende rifas para seus integrantes como forma de obter recursos para o grupo.


Em uma das loterias ilegais, realizada no ano passado em cidades do interior (Adamantina, Birigui, Teodoro Sampaio, Presidente Prudente, Assis, Candido Mota, Pereira Barreto, Euclides da Cunha Paulista, Martinópolis, Araçatuba, Mirante do Paranapanema e Rinópolis), foram vendidas 60 mil rifas ao custo individual de R$ 40, permitindo atingir uma receita bruta de aproximadamente R$ 2.400.000,00.

O curioso foram os prêmios pagos na loteria de agosto para quem acertasse os números  “1º Prêmio: um apartamento avaliado em R$ 180.000,00. 2º Prêmio: R$ 49.000,00. 3º Prêmio: R$ 42.000,00. 4º Prêmio: R$ 32.000,00. 5º Prêmio: R$ 27.000,00”. 


Segundo o Ministério Público de São Paulo,  a “Sintonia ou Célula da Rifa” tinha por principal objetivo auferir recursos permitindo a supremacia do PCC na distribuição de entorpecentes no território nacional .