Casos de Políciamilícia

Maior milícia do Rio passou a extorquir operadoras de telefonia e interrompe funcionamento de rede para quem não paga

Informações obtidas pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (DRACO/IE) revelam que a milícia Liga da Justiça estaria iniciando práticas extorsionárias em desfavor de operadoras de telefonia com ameaças de interromper o funcionamento de pontos de redes, em troca do fornecimento de quantias em dinheiro pagas mensalmente por este tipo de empresa.

Segundo as investigações, os pontos de redes estariam sendo bloqueados (com a instalação de cadeados) e seu funcionamento interrompido (corte de energia), interferindo na disponibilização do serviço para a população local.


Em ação desencadeada ontem (14), agentes da especializada capturaram em flagrante o suspeito Reginaldo de Carvalho dos Santos, quando do recebimento de quantias relacionadas ao pagamento extorsões realizadas em desfavor de determinada operadora de telefonia.


Segundo restou apurado, ele seria integrante do grupo miliciano atuante no bairro de Campo Grande, na Zona Oeste, vinculado ao bando de Wellington da Silva Braga, o Ecko, tendo como função a realização de cobranças em desfavor de operadoras de telefonia com intuito de permitir o funcionamento de pontos de redes (antenas) na região de influência da quadrilha.


Na posse do flagrado restou ainda arrecadado uma pistola calibre .40, com numeração suprimida, devidamente municiada, anotações de cobranças, e, ainda, um veículo roubado.


Reginaldo já possui histórico criminal por integrar grupo criminoso no formato de milícia, já tendo sido preso por organização criminosa, em período não muito remoto.


As ações desencadeadas no dia hoje fazem parte de uma série de operações desencadeadas ela DRACO visando a repressão a grupos criminosos no formato de milícia atuantes na Zona Oeste e regiões vizinhas.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo