Casos de PolíciaComando VermelhoDenunciaGuerra entre facçõesinvestigaçãotráfico de drogas e armas

Medo de novas mortes aterroriza Vidigal (CV). Traficantes do bonde do Garcia podem ter fugido do local

O clima continua tenso entre os traficantes que atuam no Morro do Vidigal (CV), na zona sul do Rio de Janeiro após as mortes de três bandidos no último fim de semana por ordem da cúpula da vizinha Favela da Rocinha.

Há relatos de que os criminosos que faziam parte do bonde do Garcia, um dos frentes da comunidade e um dos mortos, teriam fugido outras áreas dominadas pelo CV.


Isto porque suspeitam que os traficantes da Rocinha queiram  fazer uma limpa no Vidigal, deixando apenas as pessoas que eles confiam.


Garcia e comparsas foram mortos por conta de assaltos ocorridos em mansões nos arredores das duas comunidades mas já houve comentários de que o frente do Vidigal teria tentado uma aproximação com bandidos do Complexo de São Carlos, dominado pela facção rival Terceiro Comando Puro (TCP)


Quem acompanha a movimentação é o bando do traficante Nem, antigo chefe do tráfico na Rocinha. Seus aliados se encontram refugiados em favelas do Leme, também dominadas pelo TCP e bancadas pelo tráfico do Complexo da Maré. Sempre corre o boato que um dia tentarão retomar o controle do local.

Há muitos anos o tráfico no Vidigal sofre a influência da Rocinha. Quando a favela virou ADA (Amigos dos Amigos) em 2004, o Vidigal acompanhou a mudança. Em 2017, quando Rogério 157 devolveu a comunidade ao CV, o Vidigal também voltou para essa facção.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo