Casos de PolíciaDenunciainvestigaçãomilíciaOperação PolicialPrisão

Menos de um ano da prisão, miliciano voltou a ser preso acusado de extorquir comerciantes da mesma rua em Jacarepaguá

Menos de um ano depois de ser preso, o miliciano Erick Wendel Santos Pires voltou para a cadeia na última quarta-feira (27) pelo mesmo motivo: acusado de realizar cobranças a comerciantes na Estrada do Curumau, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio.

Segundo investigações, ele é apontado como cobrador e soldado da milícia que atua nas localidades da Boiuna, Curumau e adjacências.

Em novembro do ano passado, foi pego junto com o chefe do grupo paramilitar na comunidade da Invasão, de vulgo TH quando iniciavam  o recolhimento do dinheiro dos comerciantes da região usando um veículo produto de roubo.

Eric e o comparsa são subordinados aos milicianos Nem e Damião da Malvina que, por sua vez, são aliados de Luís Antônio da Silva Braga, o Zinho.

Um policial declarou que investigou o grupo que atua na  Malvina, Invasão, Cabeça de Porco, Curumau, Boiuna e adjacências e ajudou a prender os milicianos Macarrão, Guanabara e Xande, além de duas lideranças da quadrilha: Van Van e PQD ou Pitoco.

Na região do Curumau, as extorsões costumavam a ser realizadas as sextas-feiras a partir das 14h. Dois a três milicianos cobravam o comércio, sendo que um ou dois ficavam no carro, enquanto que o terceiro descia e recolhia o dinheiro dos lojistas. 

Uma das taxas era R$ 20. Padaria, pensão e mini hortifruti pagavam aos milicianos. 

O medo impera na região em razão da atuação da milícia, tanto é que nenhuma das vítimas aceitou comparecer à Delegacia para prestar depoimento por temer pela própria vida

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo