Casos de PolíciamilíciaOperação PolicialTiroteio

Miliciano denunciado por homicídio de policial civil em Santa Cruz é morto

Denunciado como autor do homicídio do policial civil Rodrigo Guadagno dos Santos ocorrido em 12 de maio, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, Marlon Brando Jefferson de Oliveira, conhecido como Kiko do Rodo, foi baleado nesta sexta-feira (10) durante uma ação para prendê-lo.  Foi socorrido e encaminhado para o Hospital mas não resistiu.


 Na ocasião da morte do agente, Kiko do Rodo se encontrava com um veículo roubado, um fuzil, colete balistico, granada, fardamento, e reagiu a prisão efetuando dezenas de disparos na equipe policial com a pistola que portava.


Acredita-se que a arma tinha o mecanismo de disparo em rajada, vindo a matar o policial civil Rodrigo Guadagno, que recebeu um tiro na região do pescoço, sendo socorrido em vindo a óbito no Hospital Municipal Don Pedro II em Santa Cruz. 


Segundo diversas investigações, Kiko do Rodo era gerente do tráfico de drogas da comunidade do Rodo (Rola) em Santa Cruz, área, até então, dominada pela maior facção criminosa do Rio de Janeiro (Comando Vermelho), tendo migrado em 2017 para a milícia conhecida como “Bonde do Ecko” ou a ” Firma”. 


Com perfil violento, Kiko, é o atual chefe da segurança da milícia em Antares, comunidade também localizada no bairro de Santa Cruz, ele já respondia pelo crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico na Vara Criminal de Santa Cruz, e agora responde pelo crime de homicidio consumado e tentativa de homicídio dos policiais civis no Tribunal do Júri, bem como pelo crime de porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e receptação de veiculo roubado.


Kiko do Rodo é ainda investigado pelo crime de organizacão criminosa 

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo