Casos de PolíciaFeminicídio

MP denuncia engenheiro acusado de matar juíza na Barra

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 2ª Promotoria de Justiça junto ao III Tribunal do Júri da Capital, denunciou nesta quarta-feira (30/12), por homicídio quintuplamente qualificado, o engenheiro Paulo José Arronenzi, responsável pela morte de sua ex-esposa, a juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi. O crime foi praticado no último dia 24 de dezembro de 2020, na Avenida Raquel de Queiroz, na Barra da Tijuca.

De acordo com a denúncia, trata-se de crime de feminicídio, perpetrado contra a mulher por razões da condição de sexo feminino, já que foi executado pelo denunciado contra sua ex-esposa, assim como qualificado por ter sido praticado na presença física de três crianças, uma com 10 e duas gêmeas com sete anos de idade.

O inconformismo com o término do relacionamento, especialmente pelas consequências financeiras na vida do acusado fez com que a denúncia apontasse o motivo torpe como outra qualificadora.  O crime foi ainda qualificado pelo fato de ter sido cometido por meio que dificultou a defesa da vítima, atacada de surpresa quando descia do carro enquanto levava filhas ao encontro do denunciado. Também qualificou o crime o meio cruel utilizado, uma vez que as múltiplas facadas no corpo e no rosto da vítima lhe causaram intenso sofrimento físico.

O documento descreve que Paulo, consciente e voluntariamente, desferiu diversas facadas contra sua ex-esposa, causando-lhe as lesões que, por sua natureza e sede, foram a causa de sua morte.

Além de denunciar Paulo pelos crimes contidos no artigo 121, §2º, incisos I, III, IV e VI, §2º-A, inciso I, c/c o § 7º, inciso III, do Código Penal, a 2ª Promotoria de Justiça Junto ao III Tribunal do Júri da Capital também pleiteia que seja o denunciado condenado ao pagamento de indenização pelos danos materiais e morais causados à família da vítima, em valor a ser apurado no curso do processo.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo