apreensãoCasos de PolíciaDenunciainvestigaçãoOperação PolicialPrisãotráfico de drogas e armas

Oito integrantes de quadrilha que fornecia armas e munições do Paraguai para a milícia pegam até 22 anos de prisão

A Justiça fluminense condenou no final de abril a penas que variam entre 11 e 22 anos de prisão oito integrantes de uma quadrilha que traficava armas e munições do Paraguai para o Rio de Janeiro, principalmente para a milícia. O processo é de 2018. 

Um dos condenados é o PM Thiago Soares Andrade, que era suspeito de ligação com milícia e um dos chefes do bando. Ele está preso.


Segundo investigações, entre meados de 2017 a dezembro de 2018, o bandofoi responsável por nove grandes carregamentos clandestinos de munições e armas, sempre material bélico ´de uso restrito a forças militares ou policiais, sendo que quatro desses carregamentos foram impedidos de chegar a região metropolitana do Grande Rio de Janeiro graças a exitosa intervenção policial, pois apreendidos pela PRF durante a etapa de transporte interestadual.


 Os vultosos carregamentos de munições e armas ilegais apreendidos em rodovias fluminenses nas datas de: 11.11.2017, em Itaguaí   13.01.2018 e 11.02.2018, ambos carregamentos bloqueados ainda em Itatiaia/RJ,  e em 21.08.2018, carregamento que logo após passar no trecho rodoviário da BR-116 por Itaguaí/RJ,. Um dos carregamentos apreendidos trazia 9.400 munições calibres 9mm e 40.


 Outros carregamentos apurados de material bélico do grupo foram  um no início de agosto de 2017, por volta do dia 1º, três outros foram realizados entre setembro e outubro de 2017 e um quinto carregamento despachado, entregue e revendido foi realizado no início de dezembro de 2017.  Uma das remessas que não foi apreendida teve 5.000 munições também nos calibres 9mm e 40.

No mais, os autos indicam que o tráfico era feito com periodicidade quinzenal. O material bélico era transportado na lataria de carros de passeio entre os Estados de MS e PR, região de fronteira, e o RJ.

Cada caixa de munição de pistola era comercializada pelo valor aproximado de R$ 500 a R$ 600.

Confira a condenação dos réus:

VALDISNEI EDERSON ALVES a pena de 18 anos e 09 meses de reclusão

  BRUNO GERÔNIMO GUERRA a pena de 11 anos e 03 meses de reclusão   

  GABRIEL DE LIMA NUNES a pena de 11 anos e 03 meses de reclusão


  MOACIR TEIXEIRA DE FREITAS  a pena de 11 anos e 03 meses de reclusão

  DÊNIS VALE DE AGUIAR a pena de 18 anos e 09 meses de reclusão  

  LEONARDO SANTOS CARVALHO a pena de 22 anos e 06   meses de reclusão

  ROGER DOS SANTOS MACEDO a pena de 22 anos e 06 meses de reclusão  

  THIAGO SOARES ANDRADE SILVA a pena de 22 anos e 06 meses de reclusão.  

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo