Casos de PolíciamilíciaPrisão

Olheiro da milícia recebia R$ 300 por semana em Santa Cruz

A função de olheiro da milícia da comunidade do Rola, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, rendia R$ 300 por semana para um suspeito, que está preso desde maio. 


O preso é Marcos Antônio Felinto da Silva. No dia de sua prisão, 
policiais civis receberam informações de inteligência de que Deivid Paulo da Silva, investigado pelo envolvimento no homicídio do Policial Civil Rodrigo Guadagno dos Santos, estaria na Rua Projetada Francisco, n° 24, na Comunidade do Rola, em Santa Cruz. 
Diante de tais informações, por determinação da autoridade Policial, os policiais civis foram até o local e, em uma das entradas da Comunidade do Rola, avistaram o denunciado, segurando um rádio transmissor e conduzindo uma motocicleta da marca Honda Bros, de cor vermelha, placa KYO 5726, com todos sinais de identificação adulterados. 


Os agente da lei, após consultar o banco de dados da PCERJ, verificaram que a motocicleta era produto de roubo, registrado no R.O. 043-00576/2019. 


O denunciado, quando percebeu a presença dos policiais, se evadiu correndo para o interior da comunidade, sendo capturado em seguida pelos agentes da lei. 


Na abordagem, o suspeito declarou aos policiais civis que integrava a milícia privada que domina a localidade e exerce o papel de ´olheiro´, que consiste em comunicar aos outros comparsas sobre a presença de policiais na comunidade. 
Relatou, ainda, na delegacia, que pediu aos integrantes da milícia para trabalhar como ´´radinho da milícia´, e desde então vem trabalhando todos os dias, no horário de 06h às 18h, com a função de informar aos seus comparsas, via rádio transmissor, sobre todos os veículos desconhecidos que passam pela comunidade, inclusive viaturas policiais e demais órgãos públicos, e que receberia a quantia R$300,00  por semana. 


O acusado ainda disse que comprou uma motocicleta de um conhecido, pelo valor de R$1.000,00 (um mil reais), tendo conhecimento de que o veículo era produto de crime de roubo. 

Citado nos autos, Deivid Paulo da Silva foi preso ontem juntamente com o ex-PM Marcus Antônio Alves Suarez.


Um dos presos é acusado de extorquir um empresário da região, enquanto o outro fazia a segurança armada do local.


Com eles, foram apreendidas uma pistola calibre 9mm e um revólver calibre 38, ambos municiados. Os presos foram autuados pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo, extorsão e associação criminosa, cuja pena somada pode chegar a 10 anos de reclusão.

Segundo a Draco, Deivid assumiria nesta segunda-feira a gerência da comunidade do Antares, também em Santa Cruz, após o líder da milícia ter dado autorização. Jáo ex-policial militar demitido da corporação pelo crime de extorsão mediante sequestro, após ter sido condenado a 24 (vinte e quatro) anos de reclusão.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo