Casos de PolíciaPrimeiro Comando da Capital

PCC infiltrou estagiário no Detran para saber de operações policiais

A facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) infiltrou uma pessoa dentro do Detran da cidade de Brotas (SP), que funciona no mesmo prédio da Polícia Civil.

O estagiário ficou sabendo de uma operação da Polícia Civil e comunicou os demais criminosos. Tanto que, no dia em que foram cumpridos os mandados de busca e de prisão dos integrantes da organização criminosa houve a tentativa de transportar para local seguro drogas e munições que foram apreendidas (…)”.

Seis integrantes do PCC foram condenados pelo Poder Judiciário de Brotas este mês.

Dos réus, cinco receberam pena de oito anos de reclusão cada um, em regime fechado, pela prática dos crimes de organização criminosa armada, com três causas de aumento de pena (uso de armas, infiltração de agente público e envolvimento de adolescentes) e associação para o tráfico.

O outro integrante foi condenado a cinco anos, também em regime fechado, por organização criminosa armada. Todos os réus estão presos, e a ação tramita em segredo de Justiça.

Na decisão, o magistrado apontou ainda que “conforme relatado pelo Ministério Público, a associação movimentava quantidade relevante de drogas, sendo que apenas no dia da operação da Polícia Civil foram apreendidas mais de 600 porções de cocaína e quase 5 mil embalagens (…). Ademais, os laudos periciais juntados aos autos comprovam que os réus estavam associados para o tráfico de drogas e dominavam a sua venda e distribuição especialmente nas cidades de Brotas, Torrinha e Dois Córregos”.

Após investigação realizada pela Polícia Civil, a Promotoria de Justiça de Brotas denunciou um total de 13 pessoas.

Depois de receber a denúncia, o Judiciário manteve a prisão preventiva dos réus e desmembrou o processo em outros três, com o objetivo de facilitar a instrução da ação penal. Duas dessas ações estão em fase de instrução, inclusive as que cuidam da liderança local da organização.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo