Casos de PolíciaCosta VerdeDenunciaNotíciasParatyTerceiro Comando Puro

PM ligado ao tráfico em Paraty foi pego em escuta: “Vou pedir ajuda para uns cana para invadir facção rival”

Uma investigação feita pela Polícia Civil iniciada em 2017 e resultou em processo que tramita na Vara Criminal de Paraty, na Região Costa Verde Fluminense, aponta o envolvimento de um PM com a quadrilha de traficantes que age no município ligada ao Terceiro Comando Puro (TCP).

Escutas telefônicas revelam que o policial militar Bruno Rodrigues da Paixão, vulgo Beiçudo, teria oferecido armas aos bandidos e mencionou a necessidade de vir em Paraty ´fazer um limpa´, conversando acerca da necessidade de expansão e dizendo que ´vai pedir ajuda para uns ´cana´ para invadir a facção rival e depois os traficantes entrarem´ e que ´tem que da um sacode lá na ilha mais tem que ser com arma boa, bom, que pega um monte de uma vez´.

O agente também teria vendido uma arma para outro traficante, peça esta que havia supostamente sido tomada da facção rival.

O envolvimento do policial era com traficantes especialmente DAS localidades de Pantanal e Mangueira.

O principal líder do tráfico na região era um bandido conhecido como Baixinho. Ele seria o elo com lideranças da facção em Angra dos Reis e no Rio de Janeiro e teria, inclusive, sido chamado para intervir em um conflito entre traficantes de outra localidade, situação que resultou no homicídio de um dos supostos financiadores do tráfico, e tentativa de homicídio contra um traficante.

As interceptações revelam que os bandidos chegaram a negociar até mesmo uma metralhadora ponto 50, usada para derrubar aeronaves.

Havia criminosos que faziam ameaças e atiravam em inocentes.

A investigação apontou uma conexão com o tráfico em São Paulo, com um suspeito da cidade paulista de Lorena sendo fornecedor de drogas para o bairro Pantanal.

Procurada, a PM informou que o policial passou por sindicância e será submetido a Comissão de Revisão Disciplinar. Ele está solto.

Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo