Casos de Políciamilícia

PRF prende chefe da milícia em Santa Cruz e suspeito da morte de agente federal

Um suspeito de envolvimento na morte de um policial federal foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Foi identificado como Leandro Pereira da Silva, o Léo do Rodo, ex-traficante de drogas e condenado pela Justiça.

Ele seria o chefe da milícia nas comunidades do Rola e Antares, na Zona Oeste do Rio.

A prisão aconteceu na Rodovia Presidente Dutra (BR-116), em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, na madrugada de sábado (15).

Por volta das 4h, policiais rodoviários federais faziam patrulhamento na rodovia, quando desconfiaram dos ocupantes de um carro. Havia dois homens e duas mulheres no veículo.

Durante a revista, os policiais encontraram duas pistolas, calibre .40, carregadores e uma granada.

Após consultarem os sistemas de segurança pública, constataram que um dos indivíduos era foragido da justiça.

Ele seria o responsável por uma milícia que atua em comunidades da Zona Oeste. O homem estaria fugindo de Santa Cruz, pois é suspeito de envolvimento na morte do policial federal Ronaldo Heeren, ocorrido na quinta-feira, na comunidade do Rola.

O homem seria um dos chefes da milícia conhecida como “Bonde do Ecko”, criminoso integrante da lista de procurados do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

A organização criminosa que atua na região é conhecida pela violência, exigindo de moradores e comerciantes o pagamento de taxas. Eles exploram a venda de botijões de gás, água mineral, centrais clandestinas de TV, transporte alternativo, grilagem de terras, comercialização de lotes, além da exploração de caça-níqueis.

A ocorrência foi encaminhada à Polícia Federal.

Léo do Rodo estava na condição de evadido do sistema penitenciário desde 30/12/2018, quando recebeu benefício de VPL e não mais retornou a sua unidade prisional, o Instituto Penal Plácido Sá de Carvalho.

Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo