Casos de Polícia

Principal suspeita é que jornalista tenha sido sequestrado por facção, diz Polícia Civil em RR

Romano dos Anjos, de 40 anos, foi sequestrado de casa por volta de 20h40 da noite dessa segunda-feira (26) e achado amarrado na manhã desta terça (27).

Jornalista Romano dos Anjos sorri em selfie com o delegado geral da Polícia Civil, Herbert Amorim, dentro da ambulância dos Bombeiros após sequestro — Foto: Arquivo pessoal

A Polícia Civil informou na manhã desta terça-feira (27) que o jornalista Romano dos Anjos, de 40 anos, pode ter sido sequestrado por integrantes de facção. Essa é a principal linha de investigação que a polícia trabalha.

A hipótese, de acordo com o delegado geral, Herbert de Amorim, foi levantada pela forma como o crime ocorreu. A polícia, no entanto, não descarta as linhas de investigação de que o sequestro tenha motivação política ou por ele trabalhar como jornalista de programa policial.

Romano dos Anjos estava em casa, jantando com a esposa, quando três homens encapuzados e armados invadiram o imóvel, por volta de 20h40 dessa segunda-feira (26), no bairro Aeroporto, zona Oeste. Ele foi localizado amarrado depois de mais de 10 horas.

“Durante o trajeto do sequestro, um deles fingiu ter sotaque venezuelano e afirmava ser de uma facção criminosa. A todo momento, eles perguntavam onde estava o dinheiro e como ele não tinha nenhum recurso, o agrediram bastante”, disse o delegado geral, Amorim.

De acordo com o delegado, Romano afirma que foi tirado de casa no próprio veículo, mas foi colocado em outro carro durante o trajeto. No entanto, ele não soube identificar em que parte do caminho ocorreu a troca. Uma pick-up foi usada pelos suspeitos, mas a Civil ainda não identificou o modelo.

O jornalista ficou com múltiplas fraturas nos braços e pernas, de acordo com o diretor do Hospital Geral de Roraima (HGR), Murilo Sena. Ele foi espancando por cerca de três minutos e os sequestradores evitaram partes como a cabeça e o abdômen.

De acordo com o delegado geral, houve a participação de um quarto homem durante as agressões, que pararam após o motorista dizer “feito”. Romano foi deixado sozinho em uma área de pasto no Bom Intento, conforme relato dado ao delegado geral.

Conforme Amorim, o jornalista, mesmo com as pernas quebradas, ainda andou cerca de 800 metros a pé. Ele usou os braços para tirar a venda dos olhos, encontrou um galho em uma árvore e o usou para tirar a fita que amarrava as pernas.

*Esta reportagem está em atualização*

Fonte: G1 RR — Boa Vista

Fonte
G1
Mostrar mais

PUBLICIDADE

Aguarde 10 segundos e clique em fechar publicidade para visualizar a notícia.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Encontramos um bloqueador de anúncios em seu navegador. Desabilite-o para navegar