Angra dos ReisCasos de PolíciaComando VermelhoCosta Verdemilícia

Quadrilha do CV acusada de matar turista inglesa age como ‘narcomilícia’ em Angra

Os traficantes da facção criminosa Comando Vermelho (CV) que dominam as localidades de Nelsinho, Banqueta, Água Santa, Areal e Camorim Grande, em Angra dos Reis, na Região Costa Verde fluminense, agem como uma milícia exigindo dinheiro dos comerciantes.


Segundo investigação do Ministério Público Estadual, em 13 de agosto do ano passado, no interior de uma padaria, os bandidos constrangeram o dono do estabelecimento (que é dono de duas padarias)  a fazer pagamentos não devidos como condição para o prosseguimento de suas atividades comerciais . 


Uma traficante chegou a ser flagrada em uma escuta afirmando que conseguiria todos os meses R$ 1.000,00 do dono da padaria. Os bandidos deram ordem para que o responsável pelas lojas  para não deixar os policiais acessarem pelo seu comércio a localidade.


A quadrilha também controlava a prestação de serviços coletivos, como o fornecimento de gás e de TV à cabo. 


Nenhum crime patrimonial ocorria sem a autorização do tráfico no território sob o seu domínio, inclusive sob pena de severas retaliações.
O líder do bando é o traficante Divaldo Fernandes Ramos, o PS. Há conversas gravadas demonstrando ele sentenciando desafetos à pena de morte ou a outros castigos menores, a depender da “falta” cometida contra o bando de criminosos. Um homem de vulgo Teteu foi assassinado por ter supostamente roubado a quadrilha. 


A investigação começou voltada para uma organização especializada para o cometimento de roubos violentos, em especial com o emprego de explosivos, figurando como principais vítimas instituições financeiras mantenedoras de caixas eletrônicos. 


Posteriormente, no decorrer do inquérito, identificou-se a existência de um grupo de meliantes voltado para o tráfico de drogas em comunidades de Angra dos Reis, bem como para crimes correlatos, como a corrupção de agentes públicos. 


Um membro da quadrilha, Jacson Lima Ferreira, vulgo JK, foi acusado de atirar na turista inglesa Eloise  Dixon no dia 06/08/2017, simplesmente porque o carro por ela ocupado adentrou na área de domínio dele, que demonstrou total indiferença por esta ação, mesmo após descobrir que a baleada era uma turista, valendo ressaltar que o evento em questão obteve imensa repercussão na imprensa mundial. 


O traficante em questão foi flagrado em escuta dizendo que ” o problema é deles e que mandaram o carro parar e não parou, por isso atiraram”. 

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo