Casos de Políciacorrupção policialOperação PolicialPrisão

Rogério Andrade voltou a ser preso após documentos relatarem que delegacias voltaram a pedir propinas chamadas de ‘merendas’. VEJA DETALHES

Atendendo a um pedido do Ministério Público Estadual, a Justiça decretou nova prisão do contraventor Rogério Andrade e ele acabou preso nesta quinta-feira (4) em Itaipava, Petrópolis, Região Serrana. A prisão tinha sido revogada no início da semana.

O filho dele, Gustavo, já tinha sido preso também hoje.

Segundo a decisão judicial, foi trazida documentação em que há menção de que pessoa (de alcunha “Xiquinho”), que segundo o MP o seria subordinado de Rogério Andrade, estaria arquitetando o pagamento de algumas propinas a delegacias especializadas.

‘Xiquinho passou que a Deac Centro, Deac Especializadas e Deam Centro querem o retorno das merendas (tinha parado a pedido das próprias unidades

Após esta cobrança atual de propinas, no documento conta uma suposta prestação de contas das atividades, em tese, criminosas do grupo que, segundo a presente ação penal, seria liderada pelo contraventor.

Citem-se trechos: “Faltam vir os envelopes do Paraíba e Primo para junho e faltou Primo do mês de julho

De acordo com o relatório, elementos de prova constantes dos autos (especialmente a partir das buscas realizadas com Mug”) indicam que os valores arrecadados ilicitamente pela organização criminosa circulam, em tese, entre seus membros em envelopes. É importante apontar que parte do documento revela que o manuscrito é feito por um subordinado direcionado a um chefe.

Por exemplo, consta a menção “o que o senhor acha, na minha opinião fica mais prático do que usar os particulares’

. As circunstâncias aparentam que o destinatário é o próprio Rogério Andrade com quem foi encontrado o documento. Ademais, outro documento (“bilhete”) encontrado, relativo ao mês de junho de 2022, contém escritos que denotam uma, em tese, persistência das atividades ligada a jogo de azar pelo grupo criminoso, e pior, uma possível expansão das ações para exploração de sites de apostas de futebol, já criado sob o nome de “heads bet”.

 Noutro documento, segundo relatório apresentado, localizado na estante da sala principal do imóvel onde estavam Rogério e o filho, , há indicação de que “Xiquinho” aduz que “Tem duas DPs que estão cobrando a merenda que não seguiu. DEAM Centro e DEAM Campo Grande.

Também não pode passar despercebido pelo Juízo que os novos documentos apresentados indicam um surpreendente e, até então incalculável, poderio econômico de Rogério Andrade.

A fim de ilustrar com novos dados, para além dos já produzidos nestes autos, há notícia de um documento apreendido hoje no imóvel em que ele se encontrava, no qual aparenta que se pretendia adquirir um novo negócio por “6,00 Reais” (interpretado como R$ 6 milhões de reais), incluindo dois pontos, empresa e equipe.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo