Casos de PolíciaComando VermelhoDenunciainvestigaçãoOperação PolicialPrisão

Saiba mais sobre a investigação que apontou a atuação do Comando Vermelho em Conceição de Jacareí. Menores são usados para monitorar polícia e informar passos via WhatsApp

O processo que vai julgar traficantes que atuam em Conceição de Jacareí, distrito de Mangaratiba, que foram alvos de uma operação policial em maio encontra-se em segredo de Justiça.

O bando integra a Tropa do Corintiano, ligada ao Comando Vermelho. São mais de 20 envolvidos que atuam em bocas de fumo espalhadas pelo distrito.

Os autos que é possível acessar aponta que as investigações tiveram início  a partir de quebra de sigilo telefônico, telemático e informático de membros do tráfico, bem como dos relatos de adolescentes apreendidos, que admitiram em sede policial terem sido cooptados por traficantes para trabalharem para o tráfico de Conceição de Jacareí.

Foram juntados aos autos principais cópias de laudos de constatação de drogas, armas, munições, laudos cadavéricos, registros de ocorrências confeccionados de homicídios tentados contra vidas de policiais, apreensões de drogas, apetrechos para fins de tráfico, autos de prisão em flagrante em locais próximos a escolas e quadras de esportes da localidade, espaços estes onde o público costuma ficar mais vulnerável a esse tipo de conduta criminosa e que, de certa forma, tende a dificultar as diligências/operações policiais.

Segundo a denúncia, o crime de associação para o tráfico de drogas vem sendo praticado com violência, grave ameaça, emprego de armas de fogo e processo de intimidação difusa ou coletiva, tendo em vista que os denunciados detêm poder econômico, social e bélico, com efetivo controle sobre moradores das regiões sob o seu domínio, o que restou evidenciado nos mais recentes confrontos e disparos de armas de fogo efetivados pelos integrantes da quadrilha contra policiais militares em meio a população local, e através das ameaças perpetradas contra os agentes para que estes deixem de reprimir o tráfico na região”.

A apuração policial narrou que ela “exerce funções variadas na horda criminosa, participando do aliciamento de crianças e adolescentes para o tráfico de drogas de Conceição de Jacareí e desempenhando as funções de ‘vapor’, e principalmente de ‘atividade’ ou ‘olheira’, fornecendo informações, via WhatsApp e rádio comunicador, aos seus comparsas traficantes, sobre a presença e movimentação policial na localidade”.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo