Casos de Políciamilícia

Sequestrado por PMs, filho de chefe da milícia de Rio das Pedras será investigado por lavagem de dinheiro

A Justiça determinou que o Departamento-Geral de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro – DGCOR da Polícia Civil do Rio, investigue o possível crime de lavagem de capitais por parte de Maurício Ribeiro Costa e seus familiares, os quais seriam beneficiados por vantagens financeiras provenientes das atividades ilícitas exploradas pela milícia armada que controla a localidade de Rio das Pedras, em Jacarepaguá.

Maurício é filho do tenente reformado da PM Maurício Silva das Costa, o Maurição, que está preso sob suspeita de ser um dos líderes do grupo paramilitar que age na comunidade.

Maurício Ribeiro foi sequestrado por PMs no ano passado.

Segundo a denúncia, os acusados praticaram contra a vítima crimes de roubo e extorsão, mantendo-a em seu poder durante longo período de tempo, enquanto negociavam o valor do ´resgate´, que ficou acordado em R$200.000,00).

De acordo com o que consta dos autos os acusados abordaram vítima quando a mesma saía do seu local de trabalho juntamente com um cliente, quando se dirigia para o automóvel de sua propriedade, modelo T CROSS de cor branca, sem placa, foi abordada por três indivíduos armados, que desembarcaram de um GOL G4 preto, dois deles portando fuzis e um armado com pistola, utilizando fardamento característico da Polícia Militar e balaclavas.

Ao abordarem a vítima, exigiram que a mesma apresentasse seu documento de identidade e, segundo a versão apresentada, os mesmos simularam uma consulta ao sistema da polícia, afirmando, em seguida, que havia um mandado de prisão pendente de cumprimento contra a mesma.

Após a recusa em apresentar o mandado para a comprovação da ordem de prisão, foi a vítima algemada pelos criminosos e, juntamente com o cliente, colocada no banco traseiro do veículo GOL preto que era dirigido por um dos referidos elementos, ocupando o segundo o banco do carona. O terceiro criminoso, por sua vez, assumiu a direção do veículo da vítima T CROSS.

Acrescentou o lesado que os criminosos passaram a exigir dinheiro em troca da sua liberdade, negociando valores enquanto trafegavam no veículo dos criminosos pelo bairro da Freguesia. Disse que a negociação durou aproximadamente 3 horas, quando finalmente acordaram o pagamento da quantia de R$200.000,00.

Também declarou a vítima que ligou para uma tia, a qual arrecadou R$98.000,00 para entrega imediata a fim de viabilizar sua liberação, sendo acordado que o pagamento da outra parte seria efetuado até 12h do dia 29.08.2020. Em seguida, após o pagamento da metade do valor, foi liberado pelos criminosos na Estrada dos Três Rios, próximo à esquina com a Rua Timboaçu.

Esclareceu, ainda, que além da extorsão sofrida, os criminosos subtraíram sua CHN e um relógio e, de um cliente foram subtraídos um relógio, um cordão de ouro, um anel, mil reais e o telefone celular.

Cinco PMs foram acusados e estão presos.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo