Casos de PolíciaComando VermelhoDenunciahomicídioinvestigação

Traficante de Niterói que está preso vai a júri popular por mandar executar homem que começou a vender drogas em seu reduto. Vítima teve corpo carbonizado e atirado em uma vala. Criminoso ainda mandou torturar rapaz para que ele indicasse o paradeiro do alvo a ser morto

O traficante conhecido como Coroa irá a júri popular pelo homicídio de de Bernardo de Araújo Costa Ferreira, morto em fevereiro, em Niterói. Mesmo preso, ele ordenou o cometimento do crime.

 O bandido ainda foi o mandante da tortura contra um homem para obter a confissão sobre o paradeiro de Bernardo.

Segundo os autos, no dia 04 de fevereiro de 2022, em horário não determinado, mas após as 17h e por tempo juridicamente relevante, na Rua 53, bairro Engenho do Mato, Coroa e comparsas, incluindo adolescentes, torturaram J.S.B.J consistente em chutes e socos, além de grave ameaça, ao afirmarem que ceifaria sua vida, causando-lhe, assim, sofrimento físico e mental, no afã de obter a informação sobre o paradeiro de Bernardo de Araújo Costa Ferreira. 

Consta que na data citada, J.S encontrava-se em seu local de trabalho quando foi arrebatada, por volta das 17 horas, e conduzida até a Rua 53, lugar no qual foi constrangida para que informasse o endereço de Bernardo. 

Após algumas horas sendo submetida a agressões sfísicas e mentais, J acabou por fornecer a informação que criminosos desejavam, os conduzindo até a residência de Bernardo. 

Entre a noite do dia 04 de fevereiro de 2022 e a madrugada do dia 05 fevereiro de 2022, na Rua 10, nº 121, bairro Engenho do Mato, os bandidos invadiram a casa de Bernardo e ordenaram  que ele ficasse ao chão, enquanto seu amigo deveria levantar as mãos para o alto. Nisso, indagaram acerca de dinheiro, mas, por não haver, iniciaram a subtração dos pertences. como uma televisão.

 Ao término da subtração dos bens, os criminosos conduziram a vítima Bernardo até o veículo automotor utilizado na empreitada criminosa e seguiram em direção à Rua 53, no mesmo bairro, deixando o amigo dele no local. 

E entre a madrugada do dia 05 de fevereiro de 2022 e o dia 07 de fevereiro de 2022 e entre as ruas 53 e 76 do bairro Engenho do Mato, após receberem ordens de Coroa, os traficantes mataram Bernardo de Araújo Costa Ferreira por meios não plenamente identificados devido a carbonização do seu corpo, 

 O delito de homicídio foi praticado por motivo torpe, isto é, em retaliação à notícia de que a vítima teria iniciado a venda de materiais entorpecentes na região dominada pela facção criminosa que os denunciados integram. 

Ainda, o crime foi praticado mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, uma vez que além da superioridade numérica dos agentes, Bernardo foi arrebatado de sua residência e levado, sob a mira de arma de fogo, para o local onde foi morto. 

Os envolvidos integram quadrilha ligada ao Comando Vermelho que atua no Engenho do Mato e é comandada por Coroa.

Bahiano exerce a função conhecida como ´vapor da boca´, que pode ser traduzida como um dos responsáveis pela venda do material entorpecente.

Du Maraca possui como função primordial a gerência da atividade, sendo denominado como o ´gerente que porta pistola´ 6 e atuante notadamente na Rua 76.

E Coroa foi devidamente identificado como o líder da atividade ilícita local, sendo denominado como o ´dono e frente de tudo e que, mesmo acautelado, continua a exercer o controle da associação ao tráfico de drogas, em posição de liderança, determinando ou anuindo com as práticas delitivas, com o fim de garantir a atividade fim da estrutura criminosa, qual seja, o lucro com a venda de entorpecentes, não rompendo assim seus vínculos e desígnios criminosos. Ainda, não se pode olvidar que se trata de associação articulada e estruturada na qual seus integrantes utilizam de armas de fogo como processo de intimidação difusa e coletiva, além de envolverem adolescentes na atividade

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo