Temos um cartão de crédito para você
Solicite agora!

Traficante Piolho do Morro do 18 teria trocado a ADA pelo TCP

Em decadência no município do Rio de Janeiro, se limitando ao domínio de poucas áreas na Zona Oeste da capital, a facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA) perdeu um importante líder.
Trata-se de Alexandre Bandeira de Melo, o Piolho, que durante muitos anos comandou para o grupo o Complexo do Dezoito, em Água Santa, na Zona Norte e ainda exerce influência na região, que vive uma guerra entre facções.

Investigação feita pela Polícia Civil revela que Piolho (preso há vários anos) estaria hoje vinculado ao Terceiro Comando Puro (TCP).
Ontem, a Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) deflagrou uma operação nas áreas  de  Senador Camará, Vila Aliança, Acari e outras localidades do estado. Após investigação que durou cerca de oito meses e objetivou apurar condutas criminosas de bandidos ligados ao TCP.

 Foram expedidos 29 mandados de prisão e dois de busca e apreensão. Foram capturados 13 suspeitos (seis cumprimentos de mandados de prisão de réus já custodiados e seis capturados durante a operação. Um dos mandados era contra Piolho.

O traficante passou a responder a dois processos abertos no ano passado por homicídios, um deles cometido no distante ano de 2012. Curiosamente, o outro assassinato se tratou de um comparsa que também havia trocado a ADA pelo TCP.

Piolho era conhecido aliado do chefe máximo da ADA hoje, Celso Luís Rodrigues, o Celsinho da Vila Vintém, preso há vários anos.

Há alguns anos, o TCP absorveu várias favelas da ADA como Pedreira, Macacos, São Carlos, entre outras. As duas facções hoje são aliadas em alguns locais e inimigas em outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.