Casos de Políciaestuprohomicídioinvestigação

Traficantes espancaram até a morte homem que teria estuprado as próprias filhas em Petrópolis

Traficantes espancaram até a morte um homem em junho no bairro Atílio Marotti, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, pois suspeitarem que ele teria estuprado duas menores de idade, que seriam suas filhas. Dois acusados respondem pelo crime. Um deles está preso.

O fato ocorreu em 25/06/2020, no bairro Atílio Marotti, na quadra de esportes do local, por volta das 18:00h.

Nesta data, policiais militares foram acionados para auxiliar o corpo de bombeiros em ocorrência no bairro Atílio Marotti; ao chegarem ao local, a viatura dos bombeiros já transportava a vítima Giovani de Brito.  que veio a falecer ainda durante o socorro.

Giovani foi encontrado lesionado, com sinais de espancamento, em uma vala próxima à quadra de esportes do bairro e próximo ao corpo havia pedaços de madeira e pedras, possivelmente utilizados pelos autores do delito praticado contra ele.

A possível motivação do crime seria o fato de a vítima estar sendo acusada da prática de estupro contra suas filhas menores de idade, conforme RO 105-02470/2020.

O laudo de necropsia atestou morte causada por ´anemia aguda devido a hemorragia interna por traumatismo de membros superiores´, por instrumento de ação contundente.

Algumas testemunhas relataram temor quanto aos autores, traficantes da localidade, sendo pessoas violentas e ameaçadoras e não quiseram identificá-los por essa razão.

Segundo elas, o crime foi praticado a mando de Jean Abreu França, o Jeanzinho, conhecido como o chefe do tráfico de drogas da região do Atílio Marotti e por estar sempre armado com fuzis e pistolas, ser agressivo e ameaçar, com frequência, eventuais testemunhas de procedimentos em que ele está envolvido.

Um dos indiciados pelo crime contou que  no dia dos fatos saiu com outro suspeito e que ele estava acompanhado de mais outros três homens não identificados, todos com pedaços de pau nas mãos; disse que foram para perto da quadra de futebol e que viu quando o comparsa e os outros três homens iniciaram as agressões contra Giovani; disse que ele mesmo tem filhos e ficou com raiva da vítima quando lembrou das acusações de estupro contra ela; e então  admitiu que também agrediu Giovani por estar com muita raiva dessa situação sobre os estupros, mas negou ter desferido pauladas na vítima, disse que deu apenas chutes e socos e que não imaginava que as agressões levariam à morte

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo