Casos de PolíciaComando VermelhoinvestigaçãoOperação PolicialPrisãotráfico de drogas e armas

Traficantes presos controlam negócios na Região Serrana e firmaram aliança com chefões do CV no Complexo da Maré. A base da quadrilha é o charmoso bairro da Quitandinha, em Petrópolis

Investigação revela atuação de quadrilha de traficantes ligada ao Comando Vermelho  nos bairros Bela Vista, Nogueira, Quitandinha e outros, todos em Petrópolis. O  bando tem vinculação com chefões do tráfico no Complexo da Maré. O grupo é liderado por dois criminosos presos como Baiano e Popo ou 2P.

Baiano é uma das principais lideranças da facção na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro, ao atuar com destaque nas cidades de Petrópolis, Três Rios e Comendador Levy G a s p a r i a n Ele é responsável por abastecer cotidianamente com drogas as comunidade, tendo função ímpar na facção, vez que faz a ponte com traficantes que se autointitulam líderes regionais, a fim de que os morros na cidade sejam ´ r e g i s t r a d o s´. Em um dos áudios degravados, Baiano afirmou a ´Bizim´ (traficante atuante no município de Três Rios) que lhe aproximará de Alvarenga, líder do Comando Vermelho dentro do Parque União. 

Ele construiu uma ponte entre os líderes do tráfico de drogas do Parque União e Nova Holanda (Rodrigo da Silva Caetano, o Motoboy, e Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga), além dos traficantes regionais petropolitanos que cadastram a facção criminosa na sua respectiva comunidade. Baiano teria influência até mesmo em comunidades na região Nordeste do país.

O braço-direito de Baiano era Léo Piloto. Era o responsável pelo recolhimento do dinheiro oriundo da traficância, controlava o abastecimento e distribuição das drogas e prestava contas diretamente a Baiano.

Que no dia 04/08/2021, após denúncia anônima de que dois indivíduos teriam recebido farto material entorpecente no bairro Cascatinha, a Polícia Militar prendeu Piloto em flagrante.  

Na oportunidade, foram apreendidos cinco tabletes de maconha seca prensada com peso total líquido de 3.370g, 863 tabletes de maconha seca prensada com peso total líquido de 2.942g e 2.610 ´sacolés´ com peso total de 3.771g (tNa transcrição do aparelho celular de Baiano, constam diálogos em que Léo Piloto fala abertamente sobre o comércio de drogas. Piloto fazia as vezes de batedor, 

O adolescente Dudu também fazia parte da quadrilha. Ele chegou a ser apreendido com três armas de fogo na cidade de Três Rios no dia 29/06/2021, Carlos Alberto Filho era outro membro. Ele foi preso e revelou a PMs que o traficante Léo da Mineira lhe havia pago quantia em dinheiro para levar as drogas do Parque União para a cidade de Três Rios e que, antes de ter sido abordado, já teria feito a entrega de outras duas cargas nos bairros Bela Vista e Fragoso. 

Outros integrantes do bando são Luizão, Barney, Boquinha, Rodrigo AGL, Maicon, Júnior ou PK, Binho e Douglas.
Chama a atenção a participação da suspeita Daiani que atuava em uma função nos moldes de um ´olheiro´, controlando a escala de plantão de PMs para repassar a informação para outros membros da associação.

O traficante Dodo, que seria o dono das bocas de fumo do Amazonas deu a ordem para executar dois traficantes rivais no ano de 2018 na cidade de Petrópolis. 

Ariele, esposa de Popo, administrava o dinheiro recolhido da venda de drogas em apoio a VANDERSON, sendo a responsável por receber os valores arrecadados com Dodo e Binho.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo