Casos de PolíciainvestigaçãoOperação Policial

Três PMs são investigados por envolvimento em atentado contra Shanna Garcia

Pelo menos três policiais militares estão sendo investigados por envolvimento na tentativa de homicídio contra Shanna Garcia, ocorrida em outubro do ano passado, em um condominio comercial na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), com apoio da Polícia Civil do Estado, por meio da Delegacia de Homicídios da Capital, e da Polícia Militar, via Corregedoria/PMERJ, deflagrou, nesta terça-feira (16/06), a operação Sucessão, com o objetivo de cumprir 22 mandados de busca e apreensão contra suspeitos de autoria e participação no crime.

Shanna é filha do contraventor Waldemir Paes Garcia, vulgo ‘Maninho’, assassinado em 2004, e sobrinha de Alcebíades Paes Garcia (o ‘Bid’), também envolvido com o ‘jogo do bicho’ e executado em 25 de fevereiro deste ano, numa série de crimes que somam ainda outras vítimas, como seu irmão Myro Garcia (“Myrinho”) e seu ex-marido José Luiz de Barros Lopes (“Zé Personal”). Trava-se uma verdadeira guerra pelo controle da referida contravenção.

Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em endereços ligados a 11 pessoas investigadas em inquérito policial, para o devido recolhimento de armas, munições e instrumentos utilizados na prática do crime ou destinados a fim delituoso, e também de aparelhos como telefones celulares, computadores, notebooks, HD’s externos e pendrives, que serão analisados a fim de elucidar a citada tentativa de homicídio, com a identificação dos responsáveis.  

Um dos alvos é o empresário Bernardo Bello, ex-presidente da Unidos de Vila Isabel e ex-cunhado de Shanna.

Att,

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo