apreensãoCasos de PolíciamilíciaOperação PolicialPrisão

Um dos milicianos mais perigosos do Rio e aliado de Zinho, André Boto foi condenado por ter sido pego armado

Miliciano acusado de comandar o sub-bairro de Curicica, em Jacarepaguá, e ser aliado de Luís Antônio da Silva Braga, o Zinho, André Costa Bastos, o André Boto, que está preso desde o ano passado, foi condenado a cinco anos e quatro meses de prisão.

A pena é por ter sido flagrado em 04 de março de 2021, por volta das 17h10min, no interior da residência localizada na Estrada da Água Branca, nº. 4.000, casa 12, no bairro de Padre Miguel com uma arma de fogo de uso permitido, a saber: uma pistola Glock, calibre .40, nº de série: AAMV329, além de 36 munições e 02 carregadores de mesmo calibre, além de um veículo Mitsubishi, modelo Pajero Dakar Flex, cor cinza e placa clonada KVZ6A76 e uma identidade funcional, distintivo de policial penal e uma carteira de identidade falsa, ostentando o nome ´André da Costa Cruz´, nº.: 12.038.968-9 

 Segundo os autos, após o recebimento de diversas denúncias anônimas sobre o suposto paradeiro de um ´traficante de armas para milicianos´, policiais civis da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), em ação coordenada pelos delegados de polícia do Departamento Geral de Combate à Cor-rupção e à Lavagem de Dinheiro (DGCOR-LD), procederam ao endereço com vistas ao cumprimento de mandado de prisão preventiva 

Chegando ao local, as equipes, com as devidas reservas, anunciaram a ação ao denunciado, de modo que o imóvel se encontrava cercado. 

Continua a denúncia esclarecendo que, logo após a ordem de rendição, o acusado posicionou-se com os braços para cima, mas não permitiu a confirmação de que estaria desarmado, resistindo à ordem de abertura da porta e tentado se esconder dentro imóvel. 

Diante do cenário, os agentes procederam ao arrombamento e ingressaram no imóvel, oportunidade em que lograram encontrar o denunciado realizando movimento semelhante ao saque de arma de fogo, tendo sido efetuado um disparo de advertência para o teto do cômodo com vistas a permitir o domínio e a revista pessoal do denunciado. 

Boto estava ainda com uma quantia de a R$ 4.000,00 ( em espécie e outros objetos de uso pessoal, tais como um relógio de cor dourada, um cordão dourado e dois aparelhos celulares da marca Apple na cor branca.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo