AssaltoCasos de PolíciaComando Vermelhoinvestigaçãotráfico de drogas e armas

Veja o que se sabe sobre a quadrilha de Motoboy (CV), traficante que deu aval para roubo a joalheria em shopping de luxo na Barra

Segundo o Portal dos Procurados, o chefão do tráfico na Nova Holanda, Rodrigo da Silva Caetano, o Motoboy, teria dado o aval para o assalto a uma joalheria no Shopping VillageMall no último sábado que terminou com a morte de um segurança.

Motoboy e o bandido conhecido como LC exerceriam a liderança do tráfico de entorpecentes na localidade, sendo os responsáveis pelas ordens para o funcionamento dos pontos de venda e do controle armado do território.

Marco Aurélio e Patrick integrariam a cúpula da facção criminosa e dariam as determinações a serem cumpridas pelos demais, e ainda este último juntamente com o indiciado Vitor Hugo  também atuaria na venda do material entorpecente e monitoramento do local .Uma mulher chamada Edneia seria a responsável pela guarda e pela manutenção de um dos esconderijos/depósitos do material entorpecentes da quadrilha. 

Além de Vitor Hugo, Marcos, Carlos Henrique, Carlos Alberto, Tiago, Marcelo, André, James, Gabriel Jesus e Diego  atuariam na comercialização das drogas. 

Ainda segundo o Portal dos Procurados, integram ainda o bando os traficantes Ninho” e Milinho, que organizam os bondes responsáveis por roubos milionários praticados em 2019 e 2020.

Ele deu apoio com homens e armas para quadrilha de Leonardo Costa Santos Falcão, o Léo GTA, executar roubos num período de três anos, entre 2019 e 2021. GTA foi preso, foi preso, em julho de 2021, em um motel da Baixada Fluminense.

Entre os assaltos praticados pelo bando, que roubava preferencialmente cargas de eletroeletrônicos e cigarros, estão dois assaltos ocorridos, no centro de distribuição do Grupo Pão de Açúcar, em Xerém, em Duque de Caxias, em 2020 e no depósito Central das Lojas Americanas, na Rodovia Presidente Dutra, no bairro Austin, em Nova Iguaçu, em outubro de 2019..

Verificando-se anotações referentes à movimentação financeira da venda de drogas, que alcança quantias elevadíssimas, tais como R$ 47.600,00 , R$ 55.000 e R$ 240.000,00  

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo