Dentista contratou miliciano que lhe cobrou taxas para matar o marido

Na última quinta-feira, 18.06), agentes da Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) cumpriram mandado de prisão temporária expedido pela 4ª Vara Criminal da Capital em desfavor de Karina Lepre Franco pelo crime de Homicídio e ocultação de cadáver.

Karina é acusada de ser a mandante do crime que vitimou o seu marido Wagner Franco em fevereiro de 2019.

Franco era funcionário da empresa Multinacional Shell do Brasil exercendo o cargo de gerente predial responsável por toda América Latina e estava casado com Karina há mais de 20 anos.

Wagner desapareceu no bairro do Recreio dos Bandeirantes ao sair do consultório dentário de Karina que fica localizado na comunidade do Terreirão. O corpo dele oi encontrado dias depois em uma praia na cidade de Rio das Ostras com perfurações de projéteis de arma de fogo e com o abdômen cortado.

O acusado pela execução do crime, Anderson do Nascimento Marinho conhecido pelo vulgo Thor”, é apontado como sendo integrante da milícia que atua na comunidade do Terreirão e também teve a sua prisão temporária decretada, mas encontra-se foragido até o momento.

Karina atuava como dentista na comunidade do Terreirão O onde conheceu o Thor após este entrar em seu consultório para cobrar taxas da “segurança” na localidade.

As investigações apontam que Karina cplanejou o crime para ser beneficiada com o valor do seguro e da indenização da morte do funcionário da Shell que totalizam cerca de 200 mil reais.

Thor teria recebido o valor de aproximadamente 10 mil reais pela execução.